LaNCE - Laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental

Livros

(A) (B) (C) (D) (E) (F) (G) (H) (I) (J) (K) (L) (M) (N) (O) (P) (Q) (R) (S) (T) (U) (V) (W) (X) (Y) (Z)




Dicionário da Língua de Sinais do Brasil: A Libras em suas Mãos


Autores: Fernando Cesar Capovilla, Walkíria Duarte Raphael, Janice Gonçalves Temóteo; Antonielle Cantarelli Martins
Editora: Edusp
Apoio: Inep, CNPq, Fapesp, Capes, Obeduc

ISBN 978-85-314-1645-3 (conjunto dos três volumes)

ISBN Vol. 1: 978-85-314-1540-1
ISBN Vol. 2: 978-85-314-1541-8
ISBN Vol. 1: 978-85-314-1542-5

1ª Edição, 2017

              Este dicionário documenta mais de 13 mil sinais de Libras em entradas lexicais individuais, cada qual contendo dez a doze dos seguintes elementos:
 
(1.) Os verbetes em Português e Inglês correspondentes ao sinal que, além de indexar alfabeticamente os sinais nas entradas, estabelecem correspondências entre Libras, Português e Inglês;
(2.) A definição do significado do sinal e dos verbetes em Português e Inglês, que permite aumentar o conhecimento do mundo, de Libras, Português e Inglês;
(3.) De uma a cinco ilustrações da forma do sinal, em sua composição sublexical precisa, por meio de setas e em estágios, que permite compreender a sequência temporal das unidades sublexicais que compõem o sinal;
(4.) A descrição detalhada e sistemática da forma do sinal (composição sublexical) que, juntamente com a ilustração, permite reproduzir fielmente cada sinal de Libras;
(5.) De uma a cinco ilustrações do significado do sinal e dos verbetes a ele associados em Português e Inglês, que permitem apreender diretamente o sentido do sinal sem depender do Português, e aumentar a compreensão de vocabulário das três línguas;
(6.) Alguns exemplos ilustrativos do uso funcional apropriado dos verbetes em frases, que permitem ao surdo usar corretamente as palavras do Português correspondentes aos sinais de sua língua; e, ao ouvinte, usar corretamente os sinais de Libras correspondentes às palavras de sua língua;
(7.) A especificação do escopo de validade geográfica do sinal em termos dos estados brasileiros em que esse sinal é empregado correntemente;
(8.) A descrição da etimologia do sinal a partir da análise dos morfemas componentes da estrutura do sinal, e uma breve análise do parentesco semântico entre o sinal e outros sinais que compartilham alguns de seus morfemas moleculares;
(9.) A descrição da iconicidade do sinal, que permite apreender o significado de modo fenomenologicamente imediato, ao enxergar como o sinal materializa, no espaço, esse significado;
(10.) A escrita visual direta do sinal em SignWriting, que sinaliza diretamente à mente do surdo, assim como a escrita alfabética fala diretamente à mente do ouvinte; e permite ao consulente concentrar-se nos traços distintivos que permitem distinguir entre sinais semelhantes;
(11.) A soletração digital em Libras do verbete por meio da fonte Capovilla-Raphael, permitindo à criança surda analisar a composição das palavras escritas, conveter letras em formas de mão e, a partir daí apreender a composição de palavras novas, e lograr leitura e escrita mais precisas e proficientes;
(12.) A classificação gramatical dos verbetes em Português, que permite ao surdo compreender o comportamento das palavras do Português e aprender a usá-las adequadamente

Como usar

Veja uma amostra

REPERCUSSÕES:

  • Desde 1999, já sob gestão de Plinio Martins Filho, a Edusp vem publicando séries de grande envergadura, como o Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngüe: Língua de Sinais Brasileira (Libras) (dois volumes) e a Enciclopédia da Língua de Sinais Brasileira (cinco volumes publicados), de Fernando César Capovilla e Walkiria Duarte Raphael. Coeditadas com a Imprensa Oficial, estas obras documentam os sinais do universo do surdo e constituem instrumento pedagógico para desenvolvimento das linguagens de sinais e escrita por crianças e jovens com deficiência auditiva. Este é um exemplo claro de obra que, extrapolando o âmbito da produção acadêmica propriamente dita, é dependente da pesquisa universitária, desdobra seu saber numa práxis social e só poderia se materializar em livro a partir da iniciativa de uma editora universitária.  (http://www.edusp.com.br/cadleitura/historia2.asp)




Quebrando o código do Português brasileiro: como calcular a cifrabilidade de qualquer palavra falada e a decifrabilidade de qualquer palavra escrita

Autores: Fernando Cesar Capovilla, Kelly Casado
Editora: Memnon
Apoio:
Inep, Capes, Obeduc
ISBN: 978-85-7954-064-6
1ª Edição, 2014

              

Esta publicação almeja contribuir substancialmente para a pesquisa e o desenvolvimento científico e tecnológico na área de Leitura e Escrita.

Em termos científicos, do ponto de vista teórico e metodológico, esta publicação apresenta e ilustra um novo modelo para organizar e quantificar as múltiplas relações bidirecionais assimétricas entre os mundos da Fala e da Escrita. Este novo modelo apresenta uma nova taxonomia para os fenômenos da linguagem, bem como um novo sistema de variáveis intervalares que aperfeiçoa substancialmente os níveis de controle experimental e estatístico, tornando os achados mais válidos, precisos e fidedignos. A taxonomia permite o tratamento conceitual do novo sistema de variáveis. Este, por sua vez, permite implementar a taxonomia em modelos experimentais e estatísticos refinados.

Esse paradigma, aqui proposto, é de natureza heurística. Seu objetivo é o de orientar desenvolvimento científico e tecnológico numa série de frentes, com progressos em:

(1) Tratamento teórico e conceitual, com o aumento no nível de precisão do tratamento permitido pela nova taxonomia compreensiva que abarca e articula ampla gama de achados oriundos de diferentes frentes de pesquisa;

(2) Tratamento metodológico, com o aumento no nível de precisão de controle experimental e estatístico permitido pela substituição de variáveis nominais por variáveis intervalares contínuas baseadas em escalas graduadas; e

(3) Tratamento tecnológico com a derivação de uma série de instrumentos para: mapeamento de linguagem, avaliação de fenômenos psicolinguísticos, e intervenção preventiva e remediativa.

 

O modelo mostra que qualquer palavra falada tem um determinado grau médio de cifrabilidade-codificabilidadepassível de cálculo. Esse grau médio de cifrabilidade-codificabilidade equivale à média aritmética dos índices de cifrabilidade-codificabilidade das unidades de voz que compõem a palavra falada a ser escrita sob ditado ouvido. Ou seja, à soma dos índices de cifrabilidade-codificabilidade das unidades de voz que compõem a palavra falada, dividida pelo número de unidades de voz que compõem essa palavra falada. Esse grau médio de cifrabilidade-codificabilidade da palavrapermite prever o grau de dificuldade com que essa palavra falada pode ser escrita pela criança alfabetizanda, quando a frequência de ocorrência dessa palavra falada específica é muito baixa.

O modelo também mostra que qualquer palavra escrita tem um determinado grau de decifrabilidade-decodificabilidade passível de cálculo. Esse grau médio de decifrabilidade-decodificabilidade equivale à média aritmética dos índices de decifrabilidade-decodificabilidade das unidades de escrita que compõem a palavra escrita a ser lida em voz alta. Ou seja, à soma dos índices de decifrabilidade-decodificabilidade das unidades de escrita que compõem a palavra escrita a ser lida, dividida pelo número de unidades de escrita que compõem essa palavra escrita. Esse grau médio de decifrabilidade-decodificabilidade da palavra permite prever o grau de dificuldade com que essa palavra escrita pode ser lida em voz alta pela criança alfabetizanda, quando a frequência de ocorrência dessa palavra escrita específica é muito baixa.

O grau médio de cifrabilidade-codificabilidade de FonEmas-VocÍculos em GrafEmas-ScriptÍculos para a escrita sob ditado de uma dada palavra falada explica o grau de dificuldade na escrita sob ditado dessa palavra quando se usa a rota de escrita PeriLexical-InfraVocabular (i.e., Fônica-Vocálica ou FonÊmica-VocIcular, ou seja, de cifragem-codificação deFonEmas-VocÍculos em GrafEmas-ScriptÍculos). Esse grau médio de cifrabilidade de uma dada palavra falada corresponde à média aritmética dos índices de cifrabilidade-codificabilidade dos FonEmas-VocÍculos que compõem essa palavra falada. Ou seja, ele corresponde à soma dos índices de índices de cifrabilidade dos FonEmas que compõem a palavra falada dividida pelo número desses FonEmas componentes. O presente modelo oferece tabelas de índices de cifrabilidade-codificabilidade de cada um dos FonEmas do Português falado combinado com cada um dos GrafEmas que o cifram. Tais tabelas sumariam todas as maneiras com quais cada um dos FonEmas do Português falado pode ser cifrado, bem como a distribuição de frequência absoluta e relativa de cada uma dessas maneiras numa amostra de mais de 350.000 pronúncias correspondentes a mais de 60.000 palavras escritas.

 O grau médio de decifrabilidade-decodificabilidade de GrafEmas-ScriptÍculos em FonEmas-VocÍculos para leitura em voz alta de uma dada palavra escrita explica o grau de dificuldade na leitura em voz alta dessa palavra quando se usa a rota de leitura PeriLexical-InfraVocabular (i.e., Fônica-Vocálica ou FonÊmica-VocIcular, ou seja, de decifragem-decodificação de GrafEmas-ScriptÍculos em FonEmas-VocÍculos. Esse grau médio de decifrabilidade de uma dada palavra escrita corresponde à média aritmética dos índices de decifrabilidade dos GrafEmas que compõem essa palavra escrita. Ou seja, ele corresponde à soma dos índices de decifrabilidade dos GrafEmas que compõem a palavra falada dividida pelo número desses GrafEmas componentes. O presente modelo oferece tabelas de índices de decifrabilidade de cada um dosGrafEmas do Português escrito combinado com cada um dos FonEmas que o pronunciam. Tais tabelas sumariam todas as maneiras com quais cada um dos GrafEmas do Português escrito pode ser decifrado, bem como a distribuição de frequência absoluta e relativa de cada uma dessas maneiras numa amostra de mais de 60.000 palavras escritas e suas mais de 350.000 pronúncias correspondentes.


Apresentação e Sumário

 Transtornos de aprendizagem 2: da análise laboratorial e reabilitação para as políticas públicas de prevenção via educação


Organizador: Fernando Cesar Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN: 978-85-7954-022-6

1ª Edição, 2011.

          O espírito deste livro, o fio de Ariadne que unifica todos os capítulos, é epitomizado pelo subtítulo: da análise laboratorial e da reabilitação clínica para as políticas públicas de prevenção pela via da educação. O livro empreende uma
revisão do estado da arte da produção científica em pesquisa sobre cognição e linguagem em todas as suas frentes, da pesquisa básica de laboratório, passando pela pesquisa aplicada no contexto clínico de reabilitação, e no contexto escolar
de ensino-aprendizagem em sala de aula. O livro almeja produzir uma perspectiva atualizada, de amplo escopo e profundidade, acerca de processos subjacentes às dificuldades e aos transtornos do desenvolvimento de linguagem oral, escrita e de sinais, bem como dos recursos para avaliar e intervir nesses casos. Almeja também colaborar para aperfeiçoar o desenvolvimento de modelos teóricoconceituais mais consistentes e precisos; de procedimentos de avaliação mais válidos e confiáveis e de procedimentos de intervenção mais eficazes e robustos nos contextos clínico e educacional; e de políticas públicas mais responsáveis e consequentes e eficazes em educação e saúde, de modo a assegurar que o conhecimento científico nessas áreas se converta em progressos substanciais nas políticas de educação escolar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE), capazes de efetivamente beneficiar a qualidade da educação que é oferecida à população.
          Este livro é parte da série de 20 títulos do programa Observatório da  Educação financiado pelo consórcio Capes-Inep.

Saiba mais:

Sumário
Apresentação
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Problemas de leitura e escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica


Autores: Alessandra Gotuzo Seabra Capovilla e Fernando C. Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio:  Fapesp, CNPq, Capes
ISBN: 978-85-85462-98-7
6ª Edição revisada e ampliada, 2012, 265 pp.

          Este livro resgata e aprimora a abordagem fônica à alfabetização, fundamentando-a na história da evolução cultural da escrita, em modelos teórico-conceituais sobre o processamento cognitivo e em evidências experimentais científicas sobre o desenvolvimento de competências pela criança. Apresenta atividades lúdicas metafonológicas ricamente detalhadas e ilustradas, permitindo, assim, que sejam utilizadas efetiva e eficazmente tanto pelo professor como pelo profissional da clínica psicopedagógica. Descreve, ainda, os mais recentes achados internacionais em alfabetização que justificam a mudança de orientação rumo ao ensino fônico em países do primeiro mundo. Ao demonstrar experimentalmente a eficácia de procedimentos fônicos com crianças brasileiras, a obra busca contribuir para o real aprimoramento das práticas de alfabetização nas escolas brasileiras.

Revisado e atualizado conforme a nova ortografia.

Leia sobre
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Temas multidisciplinares de Neuropsicologia e Aprendizagem 

Editores Científicos: Luiza Elena L. Ribeiro do Valle; e Fernando Cesar Capovilla.
Editora: Novo Conceito
ISBN: 978-85-63219-51-0

3ª Edição, 2011.


         A Neuropsicologia estuda, de um lado, as relações entre a anatomia e a fisiologia do cérebro intacto ou lesado e, de outro, fenômenos de linguagem e cognição e comportamento. A Neuropsicologia Cognitiva conta com um arsenal de instrumentos de triagem, bem como de avaliação para diagnóstico diferencial dos mais variados quadros de etiologia neurossensorial, neuromotora e neurolinguística. O processo de avaliação é dinâ mico, envolve uma série de instrumentos cujas informações coalescem para distinguir entre os quadros, e se dá ao longo de etapas, à luz de fluxogramas de pro cess amento de informação que orientam a tomada de decisões no processo avaliativo.
         Nos modelos de processamento de informação da Neuropsicologia Cognitiva, os mesmos fluxogramas que orientam os procedimentos de avaliação também orientam os procedimentos de intervenção para rea-bilitação no contexto da escola e da clínica. Este livro, que é o terceiro da série Temas de Neuropsicologia e Aprendizagem, reú ne trabalhos de especialistas em desenvolvimento humano ao longo de todas as faixas etárias, indo da mais tenra infância até a mais avançada idade, com o mesmo objetivo de promover o desenvolvimentohumano saudável.
          Para compor instrumentos de avaliação e/ou materiais de intervenção para ensino-aprendizagem e reabilitação, o usuário pode escolher figuras indexadas pela letra inicial do nome da figura, pela categoria gramatical, pela porcentagem de univocidade ou de concordância na nomeação da figura por pessoas em geral ou por pessoas de diferentes séries escolares (desde a Educação Infantil até o Ensino Superior), e pelo nível de familiaridade do nome correspondente à figura em escala de 9 pontos (de extremamente raro a extremamente comum) para crianças de primeiro a quinto ano do Ensino Fundamental

Sumário

Pictografia Evocadora da Fala, BFI-USP, CD1

Pictografia Evocadora da Fala, BFI-USP, CD1

Pictografia evocadora da fala: CD1: BFI-USP, CD2:BFI-Livres 

CD 1: BFI-USP
Autores: 
Fernando Cesar Capovilla, Maria Regina Roberto, Kelly Casado Martins, Miriam Damazio, Cibele Cecconi Sousa-Sousa, Alessandro Vital Lima-Sousa, Fábio dos Santos Botelho.
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN Vol.: 978-85-7954-018-9

1ª Edição, 2011.

CD 2: BFI-Livres
Autores: 
Fernando Cesar Capovilla, Valéria Bertozzi Negrão, Miriam Damazio, Maria Regina Roberto, Kelly Casado Martins, Cibele Cecconi Sousa-Sousa, Alessandro Vital Lima-Sousa, Fábio dos Santos Botelho.
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN Vol.: 978-85-7954-018-9

1ª Edição, 2011.

          Estes bancos de imagens interessam a pesquisadores, professores, e clínicos nas áreas da Pedagogia, Psicopedagogia, Psicologia, Fonoaudiologia, Neuropsicologia e Educação que precisam fazer uso de figuras no trabalho com seus educandos, pacientes ou sujeitos experimentais.
          Para compor instrumentos de avaliação e/ou materiais de intervenção para ensino-aprendizagem e reabilitação, o usuário pode escolher figuras indexadas pela letra inicial do nome da figura, pela categoria gramatical, pela porcentagem de univocidade ou de concordância na nomeação da figura por pessoas em geral ou por pessoas de diferentes séries escolares (desde a Educação Infantil até o Ensino Superior), e pelo nível de familiaridade do nome correspondente à figura em escala de 9 pontos (de extremamente raro a extremamente comum) para crianças de primeiro a quinto ano do Ensino Fundamental

Informações para compra dos cds no site da editora Memnon

Teste de Vocabulário por Figuras Usp - TVfusp: normatizado para avaliar compreensão auditiva dos 7 aos 10 anos

Organizador: Fernando Cesar Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN Vol.: 978-85-794-016-5

1ª Edição, 2011, 530 pp.

          Este livro apresenta o Teste de Vocabulário por Figuras Usp (TVfusp), poderoso instrumento validado e normatizado que vem sendo usado há mais de uma década para avaliar o desenvolvimento do vocabulário auditivo (compreensão de palavras), tanto de modo individual no contexto clínico, quanto de modo coletivo, em sala de aula, no contexto escolar.
          O livro traz, na íntegra, o TVfusp em duas formas originais: a extensa (TVfusp-139o) e a abreviada (TVfusp-92o), juntamente com tabelas de dados normativos de uso prático para a faixa etária dos 7 aos 10 anos (desde a Educação Infantil até 5º ano do Ensino Fundamental). Traz também na íntegra as formas reordenadas (TVfusp-139r e TVfusp-92r) que trazem os itens ordenados por dificuldade crescente, para permitir empregar critérios de piso e teto que abreviam ainda mais a aplicação.
          Elaborado para substituir, com vantagens, o Peabody Picture Vocabulary Test, o TVfusp encontra-se validado por comparação com provas normatizadas de consciência fonológica por produção oral (PCFO e PHF) e por escolha de figuras (PCFF-o), compreensão auditiva de sentenças (TCAS), processamento auditivo central (Aspa e BTTPA), competência de leitura de palavras e pseudopalavras (TCLPP-o), compreensão de leitura de sentenças (TCLS-o), escrita sob ditado (Pesd-PP), memória de reconhecimento de figuras (TCMRF-112) e de imagens (TCMRI-180), habilidade de leitura orofacial (Plof-D-Abrev), vocabulário por leitura orofacial (TVplof-1A-Abrev), inteligência não verbal (TMP--Raven), e rendimento em Português (Saresp-Português).
          O livro traz estudos de validação do TVfusp que mapeam as relações entre os léxicos de entrada: 1) entrada fonológica (vocabulário receptivo auditivo, para compreensão de palavras ouvidas), 2) entrada ortográfica (vocabulário receptivo de leitura alfabética, para compreensão de palavras escritas), e 3) entrada faneroliêmica (vocabulário receptivo de leitura orofacial, para compreensão de palavras articuladas sem voz); e os léxicos de saída: 1) saída fonética (vocabulário expressivo falado, para articulação de palavras faladas) e 2) saída ortográfica (vocabulário expressivo de escrita, para articulação de palavras escritas.
          Assim, mostra como o TVfusp pode ser usado para compreender as importantes relações entre recepção linguística (em termos de compreensão de palavras e frases ouvidas ou lidas orofacialmente ou escritas) e expressão linguística (em termos de produção de fala e escrita), bem como a participação do processamento metalinguístico (nos níveis fonológico e sintático) e dos processamentos cognitivos não verbal e verbal, que relacionam inteligência não verbal, processamento auditivo central, e memória.

530 páginas

Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Teste de Vocabulário Auditivo e Teste de Vocabulário Expressivo - TVAud e TVExp: validado e normatizado para o desenvolvimento e compreensão da fala dos 18 meses aos 6 anos de idade


Organizador: Fernando Cesar Capovilla, Valéria B. Negrão, Miriam Damazio
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN Vol.: 978-85-794-016-5

1ª Edição, 2011, 582 pp.

          A avaliação precoce de desenvolvimento de compreensão da fala e da produção da fala é de vital importância para detecção precoce de atrasos e distúrbios de linguagem e intervenção precoce, que aproveita a plasticidade neural para maximizar a eficácia. Testes que avaliam diretamente a compreensão da fala e a produção da fala são superiores aos usuais inventários e escalas a serem preenchidos por cuidadores da criança nas creches e escolas, tão sujeitos a viés. O problema é sua raridade em todo o mundo.
          Preenchendo uma importante lacuna no Brasil, este livro traz dois testes validados e normatizados para avaliação precoce de desenvolvimento de vocabulário receptivo e expressivo em crianças na faixa etária dos 18 meses aos 5 anos de vida: o Teste de Vocabulário Auditivo (TVAud) validado e normatizado de 18 meses a 6 anos, e o Teste de Vocabulário Expressivo (TVExp) validado e normatizado de 18 meses a 5 anos.
          O livro traz, na íntegra, o Teste de Vocabulário Auditivo (TVAud) em duas formas alternativas (TVAud-A e TVAud-B): originais de 107 itens (TVAud-A107o e TVAud-B107o) e abreviadas de 33 itens (TVAud-A33o e TVAud-B33o), ambas validadas e normatizadas, para a faixa etária dos 18 meses aos 6 anos. Traz, ainda, as formas reordenadas por grau crescente de dificuldade que permitem aplicar critérios de piso e teto para abreviar ainda mais a aplicação. Também traz, na íntegra, o Teste de Vocabulário Expressivo (TVExp) validado e normatizado de 18 meses a 5 anos, em uma forma original (TVExp-100o) e uma reordenada por grau crescente de dificuldade, que permite aplicar critérios de piso e teto para abreviar a aplicação.
          Por fim, traz vários estudos de normatização e validação, que demonstram que esses testes são altamente válidos, fidedignos, e sensíveis. Uma das razões para a qualidade atestada desses instrumentos em avaliar crianças tão pequenas é o modo criterioso como as figuras que compõem os testes foram escolhidas. Selecionadas de bancos de mais de 4 mil figuras pelos crivos sucessivos de milhares de alunos do ensino fundamental e infantil, até chegar aos 2 anos de idade, essas figuras se mostraram fortemente evocadoras de nomeação fácil e singela, mesmo para crianças de apenas de 2 a 3 anos de idade.

582 páginas

Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Transtornos de Aprendizagem: Progressos em avaliação e intervenção preventiva e remediativa

Organizador: Fernando Cesar Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN: 978-85-7954-015-8

2ª Edição, 2011, 391 pp.

          Este livro multidisciplinar apresenta progressos recentes em modelos teóricos, bem como em recursos para avalição e intervenção preventiva e remediativa de transtornos de aprendizagem em quadros como dislexia do desenvolvimento, distúrbio de processamento auditivo central, disgrafia, disortografia, discalculia, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtornos invasivos do desenvolvimento, transtorno de ansiedade, deficiência auditiva e surdez congênita. Aborda desde questões de prevalência e etiologia dos quadros, passando por modelos teóricos para sua explicação e compreensão, e estratégias de avaliação clínica e neuropsicológica e psicométrica, até chegar a estratégias de intervenção visando à prevenção e ao tratamento para reabilitação. A ênfase repousa na análise dos mecanismos por meio dos quais os diversos problemas de natureza neuropsicológica (neurossensorial, neuromotora, neurolinguística) e neuropsiquiátrica afetam o desenvolvimento linguístico, cognitivo, afetivo e social e, em especial, o desenvolvimento da aprendizagem escolar, com atenção concentrada na aprendizagem do ler, do escrever, e do contar.
          Em sua 2ª edição, além do conteúdo da 1ª edição, o livro traz quatro novos capítulos e uma nova apresentação, passando de 275 para 391 páginas. O destaque desse novo conteúdo é um novo paradigma de alfabetização de ouvintes, surdos, cegos e surdocegos. Esse paradigma inclui: 1) a revisão etimológica da taxonomia dos fenômenos de linguagem oral e escrita e de sinais; 2) a implementação do novo sistema de variáveis (substituindo nominais e ordinais por intervalares)  para permitir regulagem fina dos parâmetros de controle experimental e estatístico, aumentando a validade das avaliações e a eficácia das intervenções na área; e 3) a tabela de cifrabilidade fonografêmica, que permite determinar o grau de dificuldade da escrita sob ditado auditivo de qualquer palavra da Língua Portuguesa; a tabela de cifrabilidade fanerolalografêmica, que permite determinar o grau de dificuldade da escrita sob ditado por leitura orofacial de qualquer palavra da Língua Portuguesa; e a tabela de decifrabilidade grafofonêmica, que permite determinar o grau de dificuldade de leitura em voz alta de qualquer palavra da Língua Portuguesa.
          Este livro é parte da série de 20 títulos do programa Observatório da  Educação financiado pelo consórcio Capes-Inep.

Saiba mais:

Sumário
Apresentação
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Capa do manual


Capa do caderno de aplicação

TCLPP: Teste de Competência de Leitura de Palavras e Pseudopalavras - Manual


Autores: Alessandra Gotuzo Seabra e Fernando César Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN: 978-85-7954-011-0
1ª Edição, 2010
            
          O TCLPP é instrumento psicométrico e neuropsicológico cognitivo para avaliar a competência de leitura silenciosa de palavras isoladas, e servir de coadjuvante para diagnóstico diferencial de distúrbios de aquisição de leitura.

          Este manual traz caderno completo de aplicação normatizado e validado para Educação Fundamental. Consiste em 8 itens de treino e 70 itens de teste, cada qual composto de figura e palavra ou pseudopalavra associada. A tarefa é circundar as palavras corretas em termos ortográfico e semântico, e cruzar as palavras que incorretas em termos ortográficos (i.e., pseudopalavras) ou semânticos (i.e., palavras associadas a figura incompatível com ela).

          As tabelas de normatização permitem avaliar o grau de desvio entre o padrão de leitura da criança e o padrão de leitura normal de seu grupo de referência de acordo com o nível de escolaridade permitindo identificar a zona de desenvolvimento proximal.

          O TCLPP permite interpretar os dados do padrão de leitura específico apresentado pela criança quanto ao modelo do desenvolvimento de leitura e escrita, e inferir o estágio de desenvolvimento (logográfico, alfabético, ortográfico) em que ela se encontra e as estratégias de leitura (ideovisual ou logográfica, perilexical ou fonológica, lexical) prevalecentes. Fornece visão integrada e aprofundada do grau de desenvolvimento e preservação dos diferentes mecanismos, rotas e estratégias envolvidos na leitura competente, para lançar luz sobre a natureza da dificuldade específica. Para isso, compara o desempenho sob diferentes tipos de itens psicolinguísticos, como palavras e pseudopalavras, e em diferentes associações com figuras. O processamento cognitivo desse material psicolinguístico requer diferentes competências, como a estratégia ideovisual ou logográfica, a estratégia fonológica ou perilexical, e a estratégia lexical, que se desenvolvem nas etapas logográfica, alfabética e ortográfica, respectivamente.

          Comparando o desempenho do examinando sob diferentes tipos de itens psicolinguísticos, o TCLPP identifica o estágio de desenvolvimento de leitura do examinando e seu grau de proficiência em cada um dos três tipos de processamento: ideovisual ou logográfico, perilexical ou fonológico por decodificação grafofonêmica, e lexical ou por reconhecimento visual direto assistido por decodificação grafofonêmica eventual.


Saiba mais: breve amostra do livro
Informações para compra do livro no site da editora Memnon
Informações para compra do caderno de aplicação no site da editora Memnon

Capa da 1ª edição

Transtornos de Aprendizagem: Progressos em avaliação e intervenção preventiva e remediativa

Organizador: Fernando César Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN: 978-85-7954-012-7
1ª Edição, 2010, 275 pp.

          Este livro multidisciplinar apresenta progressos recentes em modelos teóricos, bem como em recursos para avalição e intervenção preventiva e remediativa de transtornos de aprendizagem em quadros como dislexia do desenvolvimento, distúrbio de processamento auditivo central, disgrafia, disortografia, discalculia, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtornos invasivos do desenvolvimento, transtorno de ansiedade, deficiência auditiva e surdez congênita. Aborda desde questões de prevalência e etiologia dos quadros, passando por modelos teóricos para sua explicação e compreensão, e estratégias de avaliação clínica e neuropsicológica e psicométrica, até chegar a estratégias de intervenção visando à prevenção e ao tratamento para reabilitação. A ênfase repousa na análise dos mecanismos por meio dos quais os diversos problemas de natureza neuropsicológica (neurossensorial, neuromotora, neurolinguística) e neuropsiquiátrica afetam o desenvolvimento linguístico, cognitivo, afetivo e social e, em especial, o desenvolvimento da aprendizagem escolar, com atenção concentrada na aprendizagem do ler, do escrever, e do contar.

Saiba mais:

Sumário e apresentação da 1ª edição - 2010

Capa do Vol. 1: sinais de A a H

Capa do Vol. 2: sinais de A a Z

Novo Deit-Libras: Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue da Língua de Sinais Brasileira (Libras) baseado em Linguística e Neurociências Cognitivas

Autores: Fernando César Capovilla, Walkíria Duarte Raphael e Aline Cristina Lofrese Maurício
Editora: Edusp
Apoio: Inep, CNPq, Capes
ISBN Vol. 1: 978-85-314-1178-6
1ª Edição, 2009, pp.1-1236
ISBN Vol. 2: 978-85-314-1179-3
1ª Edição, 2009, pp. 1237-2459

          O Novo Deit-Libras é uma extensão e um desdobramento do único e pioneiro Dicionário da Língua de Sinais Brasileira (Libras), livro ganhador do Prêmio Jabuti 2002 na categoria de Educação e Psicologia. Esta nova versão, atualizada conforme o novo acordo ortográfico, baseia-se no paradigma de linguística e neurociências cognitivas, que fomenta o engajamento compreensivo e a articulação de processamento pelos hemisférios cerebrais esquerdo e direito, além do cerebelo. O dicionário apresenta o dobro de sinais em relação à versão anterior: são 14 mil verbetes em português que correspondem aos 9.828 sinais de Libras e 56 mil verbetes em inglês, correspondentes aos verbetes em português. A obra também apresenta a classificação gramatical dos verbetes, descrição escrita da forma e do significado dos sinais, exemplos de uso e ilustrações gráficas dos verbetes. Os leitores ainda podem contar com a ajuda de um índice semântico que agrupa os verbetes em temas.

Saiba Mais*

*Para visualizar corretamente a página a seguir é necessário possuir a fonte “LIBRAS2002” instalada em seu computador. Para saber mais clique aqui.

Veja uma amostra

REPERCUSSÕES:

  • Desde 1999, já sob gestão de Plinio Martins Filho, a Edusp vem publicando séries de grande envergadura, como o Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngüe: Língua de Sinais Brasileira (Libras) (dois volumes) e a Enciclopédia da Língua de Sinais Brasileira (cinco volumes publicados), de Fernando César Capovilla e Walkiria Duarte Raphael. Coeditadas com a Imprensa Oficial, estas obras documentam os sinais do universo do surdo e constituem instrumento pedagógico para desenvolvimento das linguagens de sinais e escrita por crianças e jovens com deficiência auditiva. Este é um exemplo claro de obra que, extrapolando o âmbito da produção acadêmica propriamente dita, é dependente da pesquisa universitária, desdobra seu saber numa práxis social e só poderia se materializar em livro a partir da iniciativa de uma editora universitária.  (http://www.edusp.com.br/cadleitura/historia2.asp)

Prova de Consciência Sintática (PCS): Normatizada e validada  para avaliar a habilidade metassintática de escolares de 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental 

Autores: Fernando César Capovilla e Alessandra Gotuzo Seabra Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: CNPq, Capes
ISBN: 85-85462-85
1ª Edição, 2009, 75 pp.

          Este livro oferece a versão original da Prova de Consciência Sintática (PCS) validada e normatizada para avaliar a habilidade metassintática de escolares de 1a. a 4a. séries do Ensino Fundamental.
          A Prova de Consciência Sintática (PCS) constitui instrumento seguro para avaliar as competências do escolar no contexto da metassintaxe, e é parte do programa de pesquisa e desenvolvimento de instrumentos de avaliação e intervenção em desenvolvimento e distúrbios de linguagem oral, escrita e de sinais que objetiva identificar os componentes de diferentes métodos de ensino mais criticamente eficazes para desenvolver as competências metalinguísticas tão essenciais ao rendimento escolar. O professor conta, agora, com mais um instrumento valiosíssimo para transformar efetiva e eficazmente a sua prática pedagógica, neste caso conhecendo as habilidades metassintáticas de cada aluno e, partir daí, refletindo sobre a melhor forma de intervir e implementando práticas com resultados que podem de fato ser benéficos 

Normatizada e validada para avaliar a habilidade metassintática de escolares de 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental.

Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Atualização em transtornos de prendizagem

Organizadores: José M. Montiel e Fernando César Capovilla.
Editora: Artes Médicas
Apoio:  CNPq
ISBN: 85-3670-108-0
1ª. Edição, 2009, 612 pp.

          Este livro se concentra nas competências de leitura, de escrita, e de aritmética; mais precisamente na aquisição e no desenvolvimento dessas competências, bem como nos problemas que podem dificultar ou mesmo transtornar essa aquisição e esse desenvolvimento. Uma série de problemas pode se interpor durante a aquisição e o desenvolvimento das competências, atrasando ou reduzindo a sua consecução. Quando os problemas decorrem de inadequações de fatores ambientais (quer da escola, como métodos de alfabetização escolar inadequados, quer da família, como baixo envolvimento e apoio dos pais), eles acarretam dificuldades de aprendizagem. Por outro lado, quando os problemas decorrem de variáveis neuroanatomofisiopatológicas da criança (como nas dislexias, disgrafias e disortografias, discalculias e epilepsias), eles constituem transtornos de aprendizagem.

Saiba mais




Transtornos de aprendizagem: da avaliação à reabilitação 

Organizadores: Alexa L. Senwey, Fernando César Capovilla e José M. Montiel.
Editora: Artes Médicas
Apoio:  CNPq
ISBN: 85-3670-082-3
1ª Edição, 2008. 285 pp.

          Este livro disserta sobre os transtornos de aprendizagem em alguns dos principais quadros de interesse de psicólogos, psiquiatras, pediatras, psicopedagogos, pedagogos e fonoaudiólogos, como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtorno de aprendizagem não verbal, transtorno de conduta e aprendizagem, transtornos de ansiedade, transtorno de humor bipolar, transtornos invasivos do desenvolvimento, dislexia, surdez congênita, discalculia, disortografia e disgrafia. O livro aborda desde questões de prevalência e etiologia dos quadros, passando por modelos teóricos para sua explicação e compreensão, e estratégias de avaliação clínica e neuropsicológica e psicométrica, até chegar a estratégias de intervenção visando à prevenção e ao tratamento para reabilitação.

Saiba mais

Alfabetização: Método fônico 

Livro do professor

Autores: Alessandra Capovilla, Fernando C. Capovilla.
Editora: Memnon Edições Científicas
ISBN: 85-8546-288-4
Apoio:  Fapesp, CNPq, Capes
5ª Edição, 2009, 393 pp.

          Após examinar a fundo 115 mil estudos à procura do método de alfabetização mais eficaz, os Estados Unidos, a França e o Reino Unido decidiram adotar oficialmente o método fônico. Infelizmente, contudo, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) do MEC ainda insistem em pregar um outro método de alfabetização que, de acordo com aqueles países, é ultrapassado, improcedente e ineficaz. Isto tem custado caro ao aluno brasileiro, cuja competência em leitura e escrita tem caído de modo alarmante, sendo classificado em último lugar no Programa Internacional de Avaliação de Alunos. 'Alfabetização - método fônico' explica os dados científicos nacionais e internacionais que comprovam a clara superioridade do método fônico e demonstra, passo a passo, como implementá-lo na sala de aula para a alfabetização eficaz, tal como faz o Reino Unido, a França e os Estados Unidos, de modo a reverter as alarmantes taxas de fracasso escolar de nossas crianças.

Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Alfabetização fônica: Construindo competência de leitura e escrita - Livro do aluno

Autores: Alessandra Capovilla, Fernando C. Capovilla
Editora: Casa do Psicólogo
ISBN: 85-7396-354-9
Apoio:  Fapesp, CNPq, Capes
4ª Edição, 2010, 319 pp.

          A revisão da bibliografia científica publicada sobre alfabetização nos últimos 80 anos demonstrou a clara superioridade do método fônico, razão pela qual é oficialmente recomendado por organizações como o Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano dos Estados Unidos, o Observatório Nacional de Leitura da França, o Departamento de Educação e Emprego do Reino Unido, o Departamento de Educação de Base de Portugal, dentre tantos outros. Em conseqüência, o método fônico é oficialmente adotado pelos governos dos países que se destacam mundialmente pela qualidade de sua alfabetização e ensino fundamental, como Finlândia, Canadá, Austrália, Irlanda, Inglaterra, Escócia, Suécia, Bélgica, Noruega, França, Estados Unidos, Dinamarca, Espanha, Itália, Alemanha, Cuba, Israel e Portugal.
          Este Livro do aluno, Alfabetização Fônica: Construindo competência de leitura e escrita, mostra, de maneira prática e objetiva, como implementar o método no dia-a-dia na sala de aula. Implementado de modo lúdico, sistemático e produtivo, o método constrói, passo a passo, uma aprendizagem sólida e progressiva, uma experiência gratificante de real competência, uma auto-estima elevada e um grande prazer pela leitura e pelo mundo novo que ela descortina.

Saiba Mais
Veja uma amostra
Informações para compra do livro no site da editora Memnon


Alfabetização fônica computadorizada: Fundamentação teórica e guia para o usuário

Autores: Alessandra G. S. Capovilla, Fernando C. Capovilla e Elizeu C. de Macedo
Editora: Memnon Edições Científicas
ISBN: 85-85462-83-3
Apoio: Capes, CNPq
3ª Edição, 2009

Fundamentação teórica e guia para o usuário

          Empregada por países classificados pela Unesco e OCDE como recordistas mundiais de competência de leitura e escrita, a Alfabetização Fônica é composta da articulação sistemática entre instruções metafonológicas e fônicas. O ensino metafonológico é feito por meio de atividades para desenvolver a consciência fonológica; o ensino fônico, por meio de atividades para ensinar correspondências entre grafemas e fonemas no alfabeto. Implementada no Brasil sob forma de livros como Problemas de leitura e escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica (6ª ed.); Alfabetização: método fônico (5ª ed.), e Alfabetização fônica: construindo competência de leitura e escrita (3ª ed.), a Alfabetização Fônica teve sua eficácia amplamente demonstrada em dezenas de artigos científicos publicados no Brasil e no exterior voltados à prevenção e ao tratamento de atrasos de leitura e escrita. Implementada agora sob forma de CD-Rom, a Alfabetização fônica computadorizada complementa o pacote, tornando ainda mais lúdica e eficaz a alfabetização, bem como a intervenção para prevenção e tratamento de problemas de leitura e escrita.
          O presente livro acompanha o CD-Rom Alfabetização fônica computadorizada e explica sua fundamentação teórica e as atividades que o compõem.

Saiba Mais

Alfabetização fônica computadorizada: 

CD-Rom

Autores: Alessandra G. S. Capovilla, Elizeu C. de Macedo, Fernando César Capovilla, Cleber Diana
Editora: Memnon Edições Científicas
ISBN: 85-85462-81-7
Apoio: Capes, CNPq
3ª Edição, 2009

Sobre o CD-Rom

          Empregada por países classificados pela Unesco e OCDE como recordistas mundiais de competência de leitura e escrita, a Alfabetização Fônica é composta da articulação sistemática entre instruções metafonológicas e fônicas. O ensino metafonológico é feito por meio de atividades para desenvolver a consciência fonológica; o ensino fônico, por meio de atividades para ensinar correspondências entre grafemas e fonemas no alfabeto. Implementada no Brasil sob forma de livros como Problemas de leitura e escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica (6ª ed.); Alfabetização: método fônico (5ª ed.), e Alfabetização fônica: construindo competência de leitura e escrita (3ª ed,), a Alfabetização Fônica teve sua eficácia amplamente demonstrada em dezenas de artigos científicos publicados no Brasil e no exterior voltados à prevenção e ao tratamento de atrasos de leitura e escrita. Implementada agora sob forma de CD-Rom, a Alfabetização Fônica Computadorizada complementa o pacote, tornando ainda mais lúdica e eficaz a alfabetização, bem como a intervenção para prevenção e tratamento de problemas de leitura e escrita.
          O presente CD-Rom, Alfabetização Fônica Computadorizada, é acompanhado do livro Fundamentação teórica e guia para o usuário.

Saiba Mais
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Alfabetização infantil: Os novos caminhos 

Relatório final para a Câmara dos Deputados

Autores: Cláudia Cardoso-Martins; Fernando César Capovilla; Jean-Emile Gombert; João Batista Araujo e Oliveira; José Carlos Junca de Morais; Marilyn Jaeger Adams; Roger Beard.
Edição: Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, Centro de Documentação e Informação.
ISBN: 85-7365-464-3
2ª. Edição, 2007, 181 pp.

 

Cardoso-Martins, C,, Capovilla, F. C., Gombert, J. E., Oliveira, J. B. A., Morais, J. C. J., Adams, M. J., Beard, R. (2007). Grupo de Trabalho Alfabetização Infantil - Os novos caminhos: Relatório Final. Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados. Biblioteca Digital da Câmara dos Deputados, Centro de Documentação e Informação. Brasília, DF. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/1924/grupo_alfabetizacao_infantil_educacao_cultura.pdf?sequence=1


Baixe em PDF 1 (site da câmara dos Deputados)
Baixe em PDF 2 (arquivo virtual lanceusp)

Capa do Vol. 1: sinais de A a L

Capa do Vol. 2: sinais de M a Z

Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da Língua de Sinais Brasileira: O mundo do surdo em Libras

Editores: Fernando César Capovilla e Walkiria Duarte Raphael
Editora: Editora da Universidade de São Paulo
Apoio: Feneis, Mec-Seesp, CNPq, Capes
ISBN Vol 1: 978-85-314-0668-3 (Edusp)
3ª. Edição, 3ª. Reimpressão, 2008, pp.1-832, 70.000 kits (vols. 1 e 2) distribuídos
ISBN Vol 2: 978-85-314-0669-0 (Edusp)
3ª. Edição, 3ª. Reimpressão, 2008, pp. 833-1620, 70.000 kits (vols. 1 e 2) distribuídos
          O Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da Língua de Sinais Brasileira (Libras) é o primeiro dicionário de Libras do Brasil. É fruto de cinco anos de pesquisas intensivas no Laboratório de Neuropsicolinguística Cognitiva do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo conduzidas com informantes Surdos de várias organizações e professores Surdos da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis) que têm como profissão o ensino da Língua de Sinais Brasileira, a Libras. Depois disso, durante um ano, o corpo de milhares de sinais do dicionário passou pelo escrutínio de revisores Surdos em reuniões semanais na Coordenação Nacional de Cursos de Libras da Feneis; e, após inúmeros aperfeiçoamentos no Laboratório de Neuropsicolinguística Cognitiva, foi plenamente aprovado. Este dicionário objetiva ser instrumento para a concretização da educação bilíngue no Brasil e o resgate da cidadania do Surdo brasileiro. Compõe-se de três capítulos introdutórios, um corpo principal de sinais, um dicionário Inglês-Português, um índice semântico, um conteúdo semântico, três capítulos sobre educação em Surdez, e três sobre tecnologia em Surdez. O primeiro capítulo introdutório mostra como usar o dicionário; o segundo ilustra a soletração digital de letras, números e outras formas de mão da Libras; o terceiro explica e ilustra como ler e escrever os sinais de Libras em SignWriting. O corpo principal do dicionário contém os sinais que correspondem a 9.500 verbetes em Inglês e Português. A Ilustração do significado do sinal permite à criança Surda apreender o sentido do sinal, prescindindo do Português. A Ilustração da forma do sinal em estágios permite a animação gráfica dos sinais nos sistemas computadorizados de comunicação e busca descritos. A escrita visual direta em SignWriting objetiva sinalizar diretamente à mente do Surdo, assim como a alfabética fala à do ouvinte. Os verbetes em Português e Inglês permitem a indexação alfabética dos sinais e a tradução da Libras para o Português e o Inglês. A Classificação gramatical ajuda o Surdo a aprender a gramática do Português e a entender o uso das palavras. A definição lexical permite ao Surdo aumentar o seu vocabulário em Português e o seu conhecimento do mundo. Os exemplos de uso linguístico de palavras e sinais aperfeiçoam habilidades de gramática e semântica, desenvolvendo o uso adequado das palavras pelo Surdo e dos sinais pelo ouvinte. A descrição da forma ou composição quirêmica do sinal permite ao neófito articular precisamente o sinal. O dicionário Inglês-Português lista alfabeticamente os 9.500 verbetes em Inglês e seus correspondentes em Português, o que indexa os sinais da Libras e permite ao Surdo usar esses sinais na leitura do Inglês, ao mesmo tempo que permite ao leitor do Inglês localizar qualquer sinal, mesmo desconhecendo o Português. Isto abre o mundo da Libras ao estudo linguístico internacional, e abre o mundo da escrita em Inglês ao Surdo brasileiro. O índice semântico arrola as categorias e subcategorias temáticas, e o conteúdo semântico agrupa todos os sinais do dicionário nessas categorias, permitindo localizar os sinais aparentados em significado, facilitando sua aprendizagem, compreensão e uso pragmático na comunicação cotidiana. O primeiro capítulo sobre educação em Surdez descreve as abordagens educacionais e explica a evolução do oralismo à comunicação total, e desta ao bilinguismo. O segundo explica como a escrita visual direta de sinais SignWriting pode levar ao bilinguismo pleno. O terceiro explica os mecanismos de leitura em Surdos e ouvintes e ajuda a compreender paragrafias e paralexias semânticas cometidas por Surdos ao lidar com o código alfabético. O primeiro capítulo sobre tecnologia em Surdez explica os benefícios e problemas, e as indicações e contra-indicações do implante coclear. O segundo descreve um sistema de multimídia que usa sinais animados da Libras e voz digitalizada para telecomunicação, comunicação face a face entre Surdos e ouvintes, e comunicação por Surdos tetraplégicos impedidos de sinalizar devido a paralisia cerebral ou esclerose lateral amiotrófica. O terceiro descreve um sistema computadorizado de indexação e busca quirêmica de sinais que permite localizar diretamente qualquer sinais de Libras, tanto os deste dicionário, prescindindo da ordenação alfabética dos verbetes em Português, quanto os do sistema de comunicação aqui descrito, prescindindo da classificação semântica.

Veja uma amostra

Repercussões do Deit-Libras
  • "O reconhecimento da relevância do uso da Escrita de Sinais na educação de surdos e sua utilização como recurso linguístico é sustentado por inúmeras obras publicadas que fazem uso deste para registro, transcrição da Língua de Sinais e análise de seus usos. Destacam-se, entre tantas, o Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue (Capovilla 2003) e a Enciclopédia Ilustrada da Língua de Sinais Brasileira (Capovilla 2005), que são os mais elaborados registros da Língua Brasileira de Sinais da atualidade." (p. 17) http://www.apilms.org/menu/downloads/anais_3epilms.pdf
Leia sobre
Informações para compra do livro no site da editora Memnon





Enciclopédia da Língua de Sinais Brasileira: O mundo do surdo em Libras

Número de Volumes: 19
Editores: Fernando Cesar Capovilla e Walkiria Duarte Raphael
Editora: Editora da Universidade de São Paulo
Apoio: CNPq, Vitae, Fapesp, Capes
ISBN: 85-314-0826-1 (Vol. 1) (Edusp)
ISBN: 85-7060-269-3 (Vol. 1) (Imprensa Oficial do Estado de SP)
1ª. Edição, 2004, 752 pp.
ISBN: 85-314-0849-0 (Vol. 2) (Edusp)
ISBN: 85-7060-276-6 (Vol. 2) (Imprensa Oficial do Estado de SP)
1ª. Edição, 2004, 870 pp.
ISBN: 85-314-0855-5 (Vol. 3) (Edusp)
1ª. Edição, 2005, 897 pp.
ISBN: 85-314-0870-9 (Vol. 4) (Edusp)
1ª. Edição, 2005, 1049 pp.
ISBN: 85-314-0902-0 (Vol. 8) (Edusp)
1ª Edição, 2005, 936 pp.
          Baseado no premiado Dicionário Enciclopédico Ilustrado Trilíngue da Língua de Sinais Brasileira – Libras, com a chancela da Coordenação Nacional de Cursos da Federação Nacional de Educação e Integração Nacional de Educação e Integração dos Surdos e dos principais órgãos de pesquisa brasileira, os dezenove volumes desta Enciclopédia da Libras documentam os sinais do universo do surdo brasileiro nas mais variadas áreas, o que permite a adaptação curricular para educação bilíngue. Traz, também, bateria de testes normatizados e comprovadamente válidos para avaliar o desenvolvimento de linguagem do surdo desde o Ensino Fundamental ao Médio. Seus três CDs trazem sistemas computadorizados que permitem comunicação baseada em sinais falantes por surdos tetraplégicos ou amputados; consulta a dicionários resgatando diretamente os sinais sem que seja preciso saber a palavra correspondente em Português; descoberta do significado de sinais desconhecidos a partir apenas de seu aspecto; e uso do computador para avaliar a compreensão de sinais, leitura e escrita de surdos, inclusive por Internet.
Saiba Mais!
Volume 01 
Volume 02 
Volume 03 (veja amostra)
Volume 04 (veja amostra)
Volume 05
Volume 06
Volume 07
Volume 08 (veja amostra)
Volume 09
Volume 10
Volume 11
Volume 12
Volume 13
Volume 15
Volume 16
Volume 17
Volume 18
Volume 19

Neuropsicologia e aprendizagem: Uma abordagem multidisciplinar

Organizador: Fernando Cesar Capovilla.
Editora:  Memnon Edições Científicas
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia – SBNp e Capes
ISBN: 85-85462-68-x
2ª. Edição, 2004, 370 pp.

          Neuropsicologia e Aprendizagem: uma abordagem multidisciplinar reúne conferências apresentadas no I Congresso Multidisciplinar de Neuropsicologia e Aprendizagem e traça um panorama das relações entre neuropsicologia e aprendizagem a partir das óticas complementares da Neurologia, Pediatria, Psiquiatria, Psicologia, Pedagogia, Fonoaudiologia, Fisioterapia, Linguística e Direito.
          Tratando de avaliação e intervenção, com propósitos de prevenção e de reabilitação, na clínica e na escola, e desde a criança até o idoso, aborda temas centrais como: Desenvolvimento e distúrbios neuromotores, neurossensoriais e neurolinguísticos, paralisia cerebral, dislexia, afasia, surdez congênita, demência, problemas de aprendizagem, alfabetização, inclusão, comunicação alternativa, integração sensorial, processamento auditivo central, percepção e articulação da fala, discriminação e consciência fonológica, velocidade de processamento, memória, vocabulário receptivo-auditivo e expressivo, compreensão auditiva e de leitura, competência de leitura silenciosa e em voz alta, e inteligência geral.
          Discute, ainda, temas de saúde pública nos níveis municipal, estadual e federal, além da legislação brasileira e internacional em educação e saúde.

Sumário
Apresentação

Os novos caminhos da alfabetização infantil. Relatório encomendado pela Câmara dos Deputados ao Painel Internacional de Especialistas em Alfabetização Infantil.

Autores: Cláudia Cardoso-Martins; Fernando Capovilla; Jean-Emile Gombert; João Batista Araujo e Oliveira; José Carlos Junca de Morais; Marilyn Jaeger Adams; Roger Beard.
Organização: Fernando Capovilla.
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Capes.
ISBN: 85-85462-77-9
2ª. Edição, 2005, 175 pp.

          Esta obra refere-se ao Relatório Final apresentado pelo Painel Internacional de Especialistas em Alfabetização Infantil, composta pelos professores doutores Adams, Beard, Capovilla, Cardoso-Martins, Gombert, Morais e Oliveira, convidados pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, durante o Seminário intitulado O Poder Legislativo e a alfabetização infantil: Os novos caminhos, que ocorreu em setembro de 2003 em Brasília, evento que representou para o Brasil o início de uma revisão crítica e cientificamente embasada do modelo de alfabetização adotado no país no último quarto de século e entronizado pelo MEC nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) para alfabetização.
          A partir deste relatório, as autoridades responsáveis pela Educação no Brasil não podem mais ignorar os avanços ocorridos nesse campo no resto do mundo, cujos beneficiários legítimos são os alunos processo de alfabetização que se deseja efetivo.
          Decorre, portanto, desta publicação gigantesco desafio nacional: “Manter o Brasil à margem dos progressos realizados no campo da alfabetização infantil ou utilizar os conhecimentos científicos e a experiência de outros países para repensar as políticas e as estratégias mais eficazes, de modo que toda criança brasileira seja adequadamente alfabetizada no início de sua escolarização”.

Apresentação à segunda edição

          A primeira edição desta obra foi publicada pelo Congresso Nacional, sob a forma do Relatório Final apresentado pelo Painel Internacional de Especialistas em Alfabetização Infantil, composta pelos professores doutores Adams, Beard, Capobilla, Cardoso-Martins, Gombert, Morais e Oliveira, convidados pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, presidida pelo Deputado Gastão Vieira, durante o Seminário intitulado O Poder Legislativo e a alfabetização infantil: Os novos caminhos, que ocorreu em setembro de 2003 em Brasília.
          Esse evento auspicioso representou para o Brasil o início de uma revisão crítica e cientificamente embasada do modelo de alfabetização adotado no país no último quarto de século e entronizado pelo MEC nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) para alfabetização.
          O Relatório Final do Painel de Especialistas convocados pela Câmara dos Deputados representa, para a alfabetização brasileira, papel semelhante àquele que os relatórios finais de painéis de especialistas similares (como o Nacional Reading Panel dos Estados Unidos) representaram para a alfabetização norte-americana, francesa e inglesa.
          Devido à importância do Relatório e ao agudo interesse que ele despertou, as duas tiragens da primeira edição publicada pelo Congresso Nacional se esgotaram rapidamente. Apesar de fotocópias do Relatório terem passado a circular desde então, fazia-se necessário publicá-lo sob a forma de livro para sua ampla disponibilização. Atendendo, assim, ao desejo dos membros do Painel de terem seu trabalho mais amplamente divulgado, e com a autorização explícita do Deputado Gastão Vieira, isso se realiza na presente publicação, que aparece como segunda edição devidamente normalizada.
          Com o mesmo espírito cívico abnegado e desprendido que motivou o Seminário e a publicação original do Relatório, todos os recursos provenientes de direitos autorais decorrentes da comercialização desta obra foram doados à pesquisa científica em alfabetização infantil conduzida em universidades brasileiras públicas e gratuitas.

Informações para compra do livro no site da editora Memnon


Primeiro Dicionário Ilustrado Inglês-Português

Autores: Fernando C. Capovilla e Aline C. Mauricio
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Fapesp, CNPq, Capes
ISBN: 85-85462-84-1 (Vol. 1)
1ª. Edição, 2005, pp. 1-996 
ISBN: 85-85462-82-5 (Vol. 2)
1ª. Edição, 2005, pp. 997-1895

          Este Primeiro dicionário ilustrado Inglês – Português contém 12380 verbetes em Inglês, cada qual com um a três vocábulos e expressões correspondentes em Português, num total de 16.200 termos em Português, cada qual com respectiva classificação gramatical, definição e exemplo, todos distribuídos em 9954 entradas com respectivas ilustrações para facilitar a compreensão de seu significado pelo leitor jovem. Inclui instruções completas de uso e um Subdicionário de sinônimos Português - Inglês com os vocábulos em Português indexados alfabeticamente, seguidos de seus correspondentes sinônimos em Inglês. Trata-se de uma ferramenta de grande valor para o aprendiz.
Saiba Mais

Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Primeiro Dicionário Ilustrado Português-Inglês A-Z

Autores: Fernando C. Capovilla e Aline C. Mauricio
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio: Fapesp, CNPq, Capes
ISBN: 85-85462-80-9
1ª. Edição, 2005, 892 pp.

          Este Primeiro Dicionário ilustrado Português – Inglês contém 5.220 verbetes em Português, bem como 9.200 termos e expressões idiomáticas em Inglês, distribuídos em 3.750 entradas com respectivas ilustrações para facilitar a compreensão de seu significado, especialmente pelo leitor jovem. Inlui instruções completas de uso, um Subdicionário de sinônimos Inglês – Português adicional com 9.200 entradas, um índice semântico para a distribuição dos 5.220 verbetes, e finalmente um completo agrupamento dos 5.200 verbetes em centenas de classes e subclasses semânticas, com vistas a facilitar a constituição de redes de significado. Juntamente com as ilustrações de todos os verbetes, essas características fazem desta obra uma ferramenta de grande valor para o aprendiz.

Saiba Mais

Problemas de leitura e escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica

Autores: Alessandra Gotuzo Seabra Capovilla e Fernando C. Capovilla
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio:  Fapesp, CNPq, Capes
ISBN: 85-85462-54-x
5ª Edição, 2010, 251 pp.

          Este livro resgata e aprimora a abordagem fônica à alfabetização, fundamentado-a na história da evolução cultural da escrita, em modelos teórico-conceituais sobre o processamento cognitivo e em evidências experimentais científicas sobre o desenvolvimento de competência pela criança.
          Ao apresentar todas as atividades lúdicas metafonológicas com detalhes e ilustrações, permite que estas sejam usadas efetivamente pelas professoras e pelos profissionais da clínica psicopedagótica.
          Assim, unindo aspectos teóricos e práticos da área da aquisição de leitura e escrita, é útil tanto para pesquisadores quanto para profissionais do ensino infantil e fundamental e da reabilitação de dificuldades de leitura e escrita.
          O livro descreve os últimos achados internacionais em alfabetização que justificam a mudança de orientação rumo ao ensino fônico nos Estados Unidos e Grã-Bretanha. Ao demosntrar experimentalmente a eficácia de procedimentos fônicos com crianças brasileiras, objetiva contribuir para aprimorar as práticas de alfabetização em nossas escolas.

Leia sobre
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Temas em Neuropsicolinguística

Organizadores: Elizeu Coutinho de Macedo e Fernando Cesar Capovilla
Editora: Tecmedd Editora
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp)
ISBN: 859927609-3
1ª  Edição, 2005, 254 pp.

          O campo da neuropsicolinguística cognitiva tem experimentado extraordinário progresso nos últimos 25 anos, em especial desde a década do cérebro, com o aperfeiçoamento de modelos teóricos e de arquitetura cognitiva conquistado graças ao advento de novos instrumentos de avaliação neuropsicológica e neurolinguística e do aprimoramento do uso de instrumentos de neuroimagem funcional e estimulação transcraniana.
          Parte das neurociências, uma das áreas de maior crescimento na produção científica documentada nas últimas décadas, a neuropsicolinguística cognitiva tem produzido notáveis progressos na compreensão de fenômenos educacionais e clínicos de extraordinária relevância para a vida cotidiana, devido a elevados investimentos em pesquisa científica básica e aplicada e em desenvolvimento tecnológico.
          Multidisciplinar por natureza, o campo da neuropsicolinguística cognitiva abrange todos os fenômenos psicológicos fundamentais relacionados ao desenvolvimento e aos distúrbios de processos de percepção, atenção, consciência, memória, raciocínio, motivação, emoção, e assim por diante, e os analisa como função de uma vasta configuração de variáveis de natureza neurológica e linguística.
          Naturalmente nobre, esse fascinante campo estuda a experiência humana como função da biologia e da cultura e, por isso, interessa a todos.

Saiba mais.


Temas multidisciplinares de neuropsicologia & aprendizagem

Editores científicos: Luiza Elena L. Ribeiro do Valle e Fernando Cesar Capovilla.
Editora: Tecmedd.
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia – SBNp.
ISBN: 85-8665302-0 
1ª  Edição, 2003, 715 pp.

          É devido ao funcionamento coordenado de recursos cognitivos e às múltiplas conexões que o cérebro tece através de uma rede complexa de neurônios, que as pessoas podem conhecer o mundo e atuar nele. Inúmeros vínculos ocorrem, entre a cognição, a afetividade, a sensibilidade e a motricidade. A Neuropsicologia estuda esse funcionamento e os distúrbios decorrentes de lesões no cérebro, que é o órgão do pensamento, a sede da consciência. As pesquisas em Neuropsicologia buscam melhores formas de avaliar, de reabilitar e de desenvolver estratégias, técnicas ou recursos que permitam melhorar a qualidade de vida das pessoas. Como qualquer mudança envolve um aprendizado, não apenas os clínicos e pesquisadores ligados à saúde, mas também educadores, participam desses estudos citados.
          Cada vez que acontece um encontro significativo de pessoas comprometidas com um desenvolvimento humano saudável, uma esperança se reascende. Entretanto, quando muitas pessoas, que encaram com seriedade as questões debatidas em suas especialidades se unem, as expectativas são largamente superadas em seus resultados. É o que acontece neste livro.
          O segundo livrode neuropsicologia e aprendizagem” trata de assuntos indispensáveis, envolvendo desde a infância e adolescência até a idade adulta e o idoso. Ele começa com estudos que discutem a alfabetização infantil e apontam soluções necessárias para mudar a triste realidade da educação brasileira e suas consequências, enquanto, no capítulo seguinte, é reclamada a urgência de mudanças, conclamando um movimento de tolerância zero par uma situação real e tocante desse que é um dos problemas mais trágicos do Brasil, as condições de ensino que colocam o Brasil entre os piores do mundo! Esses textos solicitam uma ação, proposta nesse encontro de estudos: não mais uma constatação passiva, mas um desejo de intervir que mobiliza aqueles que estão conscientes do lamentável desfecho que os dados de pesquisa apontam para o futuro de nossas crianças. Assim, este livro tornou-se um mensageiro de esperanças; ele acompanha um manifesto assinado por estudiosos interessados e atuantes, que procuram por autoridades que se sensibilizem com a frieza dos dados científicos.

Saiba Mais

Teoria e pesquisa em avaliação neuropsicológica

Autores: Alessandra Gotuzo Seabra Capovilla e Fernando Cesar Capovilla.
Editora: Memnon Edições Científicas
Apoio:  CNPq, Capes
ISBN: 9788585462970
2ª  Edição, 2009, 156 pp.

          Este livro traz um conjunto de pesquisas científicas sobre avaliação cognitiva neuropsicológica em crianças e em adultos, avaliação essa que constitui tarefa extremamente complexa, devido ao amplo escopo envolvido, incluindo tanto diferentes áreas de estudo quanto diferentes populações.
          A avaliação neuropsicológica deve ser condizente com uma abordagem teórica, tecnicamente adequada, e relevante para uma atuação prática. Assim, deve estar integrada num arcabouço teórico que a explique e justifique. Deve, ainda, ser psicometricamente adequada, respeitando os requisitos psicométricos necessários para qualquer instrumento de medida psicológica. Por fim, deve fornecer diretrizes para a reabilitação e para a educação que auxiliem o profissional a selecionar, dentre diferentes tipos de intervenção, a que mais se adequa às necessidades e características específicas do paciente ou do aluno. Aspecto que merece ser ressaltado, uma vez que pouco usual na nossa cultura, é a evidente importância da normatização dos testes disponíveis para avaliação neuropsicológica para populações brasileiras. Como bem sabemos, esta é conduta rara entre nós, habituados a utilizar testes e procedimentos provenientes de outros países, nem sempre adequadamente adaptados ou normatizados para o nosso meio. Daí a relevância das pesquisas sobre esse tema, já que, se a avaliação é conduzida de forma inadequada, ela compromete a eficácia da intervenção.
          Ao buscar a relação entre discussão teórica, construção e validação de instrumentos, e avaliação de pacientes com quadros neuropsicológicos, o livro se adequa à necessidade de unir essas três facetas da avaliação neuropsicológica, contribuindo, assim, para preencher essa lacuna, auxiliando o desenvolvimento da área de maneira teoricamente fundamentada, psicometricamente adequada e clinicamente relevante. Portanto, esta obra se destina primariamente a profissionais que atuam diretamente com avaliação neuropsicológica, mas é também útil a profissionais de áreas afins, como a pedagogia, a psicopedagogia e a fonoaudiologia.

Saiba Mais
Informações para compra do livro no site da editora Memnon

Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: um novo olhar para avaliação e intervenção

Organizadores: Elizeu Coutinho de Macedo, Maria de Jesus Gonçalves, Fernando Cesar Capovilla.e Alexa Livia Sennyey
Editora: Centro Universitário São Camilo
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia e Centro Universitário São Camilo
ISBN: 85-87121-02-2
2002, 391 pp.

          Este livro faz parte da série Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva, da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia
          Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: um novo olhar para avaliação e intervenção se insere dentro da tradição de aprofundamento do nível teórico-conceitual dos eventos científicos promovidos pela Sociedade Brasileira de Neuropsicologia.
          Esta obra reúne a produção apresentada no III Congresso Brasileiro de Tecnologia e (Re)Habilitação Cognitiva, evento que mantém a tradição de reunir profissionais interessados na discussão dos fundamentos e implicações dos conhecimentos advindos da neuropsicologia e aplicados na atividade clínica e pedagógica.
          Assim, Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: um novo olhar para avaliação e intervenção traz ao leitor uma coletânea de textos de pesquisadores, clínicos e educadores que se dedicam ao desenvolvimento de instrumentos e de propostas de intervenção mais eficazes. Portanto, este livro interessa a fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos, terapeutas ocupacionais, professores, entre outros.

Sumário
Apresentação

Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: a dinâmica clínica - teoria -pesquisa

Organizadores: Maria de Jesus Gonçalves, Elizeu Coutinho de Macedo, Alexa Livia Sennyey, e Fernando Cesar Capovilla.
Editora: Centro Universitário São Camilo
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia e Centro Universitário São Camilo
ISBN: 85-87121-02-2
2000, 416 pp.

          Este livro faz parte da série Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva, da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia
          Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva 2000: a dinâmica Clínica-Teoria-Pesquisa confirma, mais uma vez, a posição da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia como uma sociedade científica com papel decisivo na discussão de temas sobre as relações cérebro-cognição. Este volume reúne a produção apresentada no II Congresso Brasileiro de Tecnologia e (Re)Habilitação Cognitiva, que contou com a participação de profissionais que atuam na área e estão em busca constante de novos conhecimentos e soluções em termos clínicos, teóricos e de pesquisa. A preocupação em manter aceso o diálogo entre estes profissionais com diferentes olhares sobre a área está explícita em Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva 2000: a dinãmica Clínica-Teoria-Pesquisa. Estão aqui reunidos textos que refletem um panorama da área, na visão de diferentes profissionais com atuação e enfoques diversos.
          Isto faz com que Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva 2000: a dinãmica Clínica-Teoria-Pesquisa seja uma obra de interesse de fonoaudiólogos, psicólogos, médicos, pedagogos, terapeutas ocupacionais e demais profissionais que atuam em (Re)Habilitação Cognitiva ou no desenvolvimento de Tecnologias que lhe servem de suporte.

Sumário e apresentação

Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: uma perspectiva multidisciplinar

Organizadores: Fernando Cesar Capovilla, Maria de Jesus Gonçalves, e Elizeu Coutinho de Macedo
Editora: Edunisc
Apoio: Sociedade Brasileira de Neuropsicologia e Centro Universitário São Camilo
ISBN: 85-87121-01-4
1998, 416 pp.

          Este livro faz parte da série Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva, da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia
          Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: Uma Perspectiva Multidisciplinar vem reafirmar e manter o compromisso da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia, enquanto uma sociedade científica, de assumir um papel decisivo na apresentação e discussão dos fundamentos e implicações do conhecimento das relações cérebro-cognição para a atividade clínica e pedagógica.
          Esta obra reúne a produção apresentada no I Congresso Brasileiro de Tecnologia e (Re)Habilitação Cognitiva, evento que possibilitou a aglutinação de profissionais interessados na área, e que encotraram na Sociedade Brasileira de Neuropsicologia lugar para um crescimento profissional e inetcâmbio científico.
          Assim,  Tecnologia em (Re)Habilitação Cognitiva: Uma Perspectiva Multidisciplinar traz ao leitor uma coletânea de textos de pesquisadores, clínicos e educadores que têm navegado nestas áreas em rápida e constante evolução. Portanto, este livro interessa a fonoaudiólogos, médicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais e pedagogos entre outros.

Sumário
Apresentação