Projetos Imprimir E-mail
Comunidade IPUSP - Docentes - Wellington Zangari

tit_comunidade
Principal | Disciplinas | Laboratórios |  Grupo de Pesquisa | Projetos | Publicações | Lattes


PROJETOS SELECIONADOS

 

2010 - 2012
Crença Paranormal Religiosa versus Crença Paranormal Clássica: um estudo transcultural


(Financiado pelo CNPq, Edital MCT/CNPq/MEC/CAPES N º 02/2010 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas)

 

Descrição: O presente estudo visa auxiliar no esclarecimento da ambígua relação entre crença religiosa e crenças definidas como paranormais, por meio de um estudo empírico cujo objetivo é o de replicar e ampliar a pesquisa de Williams et al. (2009).

A ambigüidade é de ordem variada. Há pesquisadores que sustentam a existência de uma espécie de gradiente entre as crenças religiosas e as crenças paranormais. Outros, no entanto, afirmam ser crenças absolutamente independentes umas das outras. Mas não é apenas nas distintas perspectivas conceituais e classificatórias que os estudiosos do tema apresentam em que reside a ambigüidade. Talvez resultante dessa concepção tão radicalmente díspare é que emirja a ambigüidade mais fundamental, a saber, a empírica. Os dados que a pesquisa sobre o tema oferecem simplesmente não permitem qualquer conclusão satisfatória a respeito dessa relação. Nas palavras de Orenstein (2002:302) “os estudos disponíveis não mostram claramente se as crenças religiosas são positivamente correlacionadas, negativamente correlacionadas ou não correlacionadas às crenças paranormais”.

Diante desse impasse se faz necessário, antes de mais nada, reavaliar os conceitos de modo a homogeneizar os esforços empíricos da área. Nesse sentido, encontramos as recomendações de Rice (2003), para quem os constructos conceituais desse campo deveriam ser suficientemente claros para evitar confusões. Rice faz uma releitura das duas tendências dos pesquisadores frente ao conceito de “crença paranormal” – já mencionadas acima - e afirma que elas poderiam estar no cerne da confusão encontrada nos estudos realizados. A primeira é aquela em que se tem o pressuposto de independência ou descontinuidade entre as crenças paranormais e as crenças religiosas,  a que  “crenças paranormais clássicas”. Dentre essas estariam as crenças em percepção extra-sensorial, em extra-terrestres, no déjà vu e as curas paranormais. A última é a concepção de que há uma continuidade entre as crenças paranormais e as crenças religiosas tradicionais, a que chamou de “crenças paranormais religiosas”. Crenças no demônio, nos anjos, no céu, no inferno, na vida após a morte, dentre outras, pertenceriam a esse grupo. Partindo-se da releitura de Rice, um caminho para tentar resolver o problema da ambigüidade encontrada nos estudos prévios, seria, em primeiro lugar, levar em consideração a distinção desses dois tipos de crenças para que não se avaliasse uma pela outra. Em segundo lugar, seria necessário que os instrumentos de medida desses conceitos levassem em conta tal distinção. Inspirados pelas conseqüências das considerações de Rice, Williams et al. (2009) encontraram evidências da falta de relação significante entre crenças paranormais religiosas e crenças paranormais clássicas em estudo que levou em conta e controlou empiricamente essa distinção. Esta proposta procura, em primeiro lugar, responder ao apelo de Williams et al. de que seja feita uma ampliação da amostra para além da amostra por conveniência utilizada naquele estudo, ampliando a base de dados existente. Em segundo lugar, pretende-se verificar se em uma amostra brasileira, em que aparentemente há uma delimitação muito menos rígida entre as crenças paranormais religiosas e as crenças paranormais clássicas, encontrar-se-á os mesmos resultados que os obtidos com sujeitos europeus de tendência cristã mais “pura”. 2. Objetivos. Objetivo geral: verificar o alcance da proposta de William et al. em amostras distintas das investigadas. Objetivos específicos: avaliar a correlação entre crenças paranormais clássicas e as crenças religiosas em duas amostras religiosas, a saber, umbandistas e cristãos “tradicionais”; como política científica, fornecer treinamento e recursos conceituais e empíricos para estudiosos do comportamento humano voltado para o entendimento das relações entre crenças religiosas e crenças paranormais; fornecer oportunidade de treinamento em pesquisa aos doutorandos do Laboratório e a estudantes de graduação participantes da pesquisa. Metas: em relação à graduação, integrar os procedimentos e os resultados da pesquisa nas disciplinas de introdução à psicologia da religião e à psicologia das crenças; em relação à pós-graduação e à formação de pesquisadores, fazer avançar teorias recentes integradoras de várias disciplinas no estudo da psicologia da religião e na psicologia das crenças.

 

2008 - 2011 Transliminaridade, experiências e crenças religiosas e paranormais e qualidade de vida entre religiosos: e não-religiosos: um estudo longitudinal
Descrição: O construto de translimiraridade, tal qual concebido por Michael Thalbourne (1999) procura descrever a habilidade para acessar processos e estados mentais não-conscientes. Tal habilidade seria o proceso básico subjacente a uma variedade de experiências, crenças e habilidades humanas. Este projeto tem como objetivo avaliar quantitativa e qualitativamente a translimiraridade ao longo do tempo entre pessoas que se definem como religiosas e pessoas que se definem como não-religiosas, sua correlação com experiências e crenças interpretadas como religiosas e/ou paranormais e índices de qualidade de vida. Uma vez que os dados empíricos disponíveis baseiam-se na avaliação de amostras prioritariamente religiosas, ou com variados graus de religiosidade, este projeto pretende contribuir para a diminuição desse viés da amostra ao investigar não-religiosos em contraste aos religiosos, além de obter dados relativamente às possíveis alterações dessas variáveis (e de suas possíveis correlações) no tempo. Dessa forma, os sujeitos de análise serão 100 pessoas que integrem dois grupos cujas identidades religiosas são marcadamente distintas, a saber: um grupo de 50 religiosos que ocupam posições na hierarquia de suas religiões, e 50 pessoas que se afirmam não-religiosas e que atuam em movimentos ateus no país, distribuídos em igual número de homens e mulheres A hipótese básica é que os dados desse estudo continuem a sustentar o modelo de Thalbourne mesmo com a introdução de um tipo particular de sujeitos, os não-religiosos, que, segundo pode-se prever, apresentarão índices de transliminaridade, experiências e crenças religiosas e paranormais significativamente menores que o grupo de religiosos. Espera-se, ainda, que os índices de correlação entre transliminaridade e qualidadade de vida não apresentem diferenças significativas entre os grupos. Do ponto de vista da metodologia, cada um dos 100 sujeitos será convidado a preencher a Escala de Transliminaridade, o Instrumento de Avaliação.

2008 - 2010

Condições protopsiquicas da opção religiosa e cientifica
Descrição: O projeto visa pesquisar as condições pré-psiquicas ou protopsiquicas da ordem da cognição, que tornam possíveis as opções fundamentais, especificamente no campo da religião ou no campo da ciência. Examina empiricamente a contra-intuição a atribuição de causalidade e a orientação emocional em pessoas reconhecidas como religiosos ou cientistas.

2004 - 2005 ANÁLISE CRÍTICA DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM PSICOLOGIA DA RELIGIÃO DE 1960 a 2000 (Fincanciado pelo CNPq, Edital CNPq 06/2003 / Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas)
Descrição: A abordagem psicológica do fenômeno religioso lança luz para a dimensão propriamente psíquica do comportamento religioso, isto é, do comportamento intencionado para o objeto religioso, para aceitá-lo ou para rejeitá-lo. Nessa dimensão situam-se os afetos, as conexões denotativas das cognições, os desejos, grande parte dos conflitos pessoais, interpessoais e sociais, inclusive aqueles que têm como objeto as entidades religiosas. A partir da década de 1960, os pesquisadores na área da Psicologia têm estudado várias modalidades do comportamento religioso e têm publicado em periódicos científicos. Não existe, no entanto, até o presente, uma apreciação do ponto de vista metodológico e teórico da produção desses quarenta anos. A proposta do projeto é realizar essa avaliação crítica, detectando a preferência por teorias, por metodologias e por temas ao longo dessas quatro décadas. O estado atual do conhecimento em nosso meio é insipiente e fragmentário, ao contrário do que acontece em muitos outros países onde já se realizou tal análise crítica. Avaliar criticamente, pela primeira vez, o que se tem produzido (e, por espelho, o que se deixou de produzir) no estudo da formação da personalidade, do desenvolvimento humano, da filiação grupal, da motivação, dos conflitos e outros aspectos da psicologia humana ordenados pela referência religiosa, contribui para o entendimento mais pleno da produção científica permite encaminhar sugestões que acolham com mais eficácia os reclamos religiosos pessoais e sociais de nossa população. OBJETIVOS E METAS Objetivo Geral: conhecer o estado da arte da produção científica da Psicologia brasileira acerca do comportamento religioso. Objetivos Específicos: 1. Identificar temas, preferências teóricas e perspectivas metodológicas no estudo psicológico do comportamento religioso; 2. Identificar possível seqüência histórica de temas, teorias e métodos nessa produção científica; 3. Fazer a avaliação crítica dessa produção. .
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
 


Instituto de Psicologia da USP

Av. Prof. Mello Moraes 1721
CEP 05508-030
Cidade Universitária - São Paulo - SP

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.