Estudo revela efeitos psicossociais das "novas classes médias" | 28/6/2016 Imprimir E-mail
Notícias - Na Mídia

Individualismo, competitividade e redução da teia de solidariedades são algumas das bandeiras adquiridas pelo segmento

classe c

 Pertencem à classe média aqueles com renda familiar per capita entre R$ 291,00 e R$ 1.019,00

Em tempos de novos quadros econômicos e de uma reconfiguração social da população brasileira, os pesquisadores Luís Fernando de Oliveira Saraiva, Joyce Cristina de Oliveira Rezende, João Victor de Souza Reis, Márcio Dionizio Inácio, Lia Vainer Schucman e Belinda Mandelbaum  se propuseram a estudar, a partir da psicologia, um novo conceito: a nova classe média, ou classe C. Esta se refere ao setor social que ascendeu de classes mais baixas, e adquiriu condições melhores de vida em meados do governo Lula. O seu surgimento é um dos indicadores da diminuição da desigualdade social e de renda no Brasil, apesar de sua instabilidade

A "nova classe média" representa uma mudança perceptível aos olhos de toda a população, afinal, conquistou espaços que antes pertenciam somente à classe média tradicional e aos segmentos mais altos da sociedade. Um dos exemplos mais claros é a condição que se adquiriu de usufruir do que deveria ser básico, como melhorias na alimentação, posse de eletrodomésticos, acesso a escolas particulares, a possibilidade de ir ao shopping ou viajar de avião. O que antes era privilégio dos mais afortunados, passou a ser objeto de desejo da nova classe. Todos estes aspectos foram estudados no artigo "'A nova classe média': repercussões psicossociais em famílias brasileiras",redigido pelos pesquisadores, e o foco foi dado a como o acesso a um novo estilo de vida impacta a psique dos indivíduos.

Notou-se que este novo estilo é marcado pela tentativa de planejamento do futuro, seja ele próximo ou mais longínquo, cercado pelo consumo e pela meritocracia. O modo de pensar se aproxima de rótulos da classe média tradicional, seja em questão de valores ou até mesmo politicamente. De acordo com o estudo, existe uma clara aproximação da classe de setores religiosos, aliados a posicionamentos políticos mais à direita, que se somam e geram um discurso cada vez mais conservador. A posição visa proteger e defender uma visão que tem como foco o consumo de bens materiais, aos quais os indivíduos não tinham acesso anteriormente, e que geram uma sensação equivocada de inclusão e status.

O artigo pontuou que tais posicionamentos se aliam ao individualismo, competitividade, redução da teia de solidariedade e a diferenciação e discriminação entre pessoas da mesma origem. Estes valores adquiridos ao ascender economicamente apontariam para estratégias de como manter sua posição na sociedade, visto que ela é instável. Esta seria a diferença chave entre a nova classe média e a tradicional pois, enquanto a primeira sofre para se estabelecer em seu patamar, correndo riscos quando a economia está instável e sujeita ao desemprego, a segunda permanece inabalável em seu posto. O estudo aponta: "Longe de poder ser chamado de ‘classe média’, esse segmento social, para o autor (Pochmann, 2012), deveria ser entendido como trabalhadores pobres por se tratar fundamentalmente de ocupados com salário de base". Ou seja, a classe C ainda encontra aflições das classes mais baixas, mas tem as demandas das mais altas. A professora Belinda Mandelbaum, responsável pela orientação e supervisão da redação do artigo, coloca: "Embora a nova classe média tenha tido acesso a esses novos bens de consumo, como celulares, viagens e eletrodomésticos, isso não as tornou verdadeiramente classe média".

Apesar de o padrão da nova classe média ter se aproximado do espaço da tradicional, a receptividade, muitas vezes, não é boa. "São classes sociais que não estavam acostumadas a conviver em certos espaços, como o shopping, aeroporto. Então foi uma convivência difícil, vejamos pelo movimento do rolezinho, que evidencia uma certa ojeriza da classe tradicional em relação à classe C", afirmou a professora. Os encontros nos espaços públicos e privados evidenciaram o racismo e classismo latentes presentes na sociedade brasileira, que até então eram abafados pelo pacto social de que "cada um sabe o seu lugar". A repercussão são os murmurinhos pelos corredores do cotidiano, como apontaram exemplos dados no artigo: "Aeroportos agora parecem rodoviárias, ou como os filhos da classe C ‘até’ estudam em colégios que seriam da classe média tradicional".

O estudo em questão pontuou suas conclusões a partir de pesquisas e serviu como encerramento de uma série de estudos a respeito do tema. Estes aconteceram no decorrer do seminário "Novas classes médias": famílias em mudança?", que aconteceu em agosto de 2013, durou cerca de um ano e foi organizado pelos pesquisadores do Laboratório de Estudos da Família, Relações de Gênero e Sexualidade (LEFAM) do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho, no IPUSP. As áreas de estudo incluíram as Ciências Políticas, Economia, Antropologia, Cultura, Religião e a Psicologia Social.

Por Isabella Schreen, para a Agência Universitária de Notícias.

 


Instituto de Psicologia da USP

Av. Prof. Mello Moraes 1721
CEP 05508-030
Cidade Universitária - São Paulo - SP

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.