I Colóquio Psicanálise, gênero e feminismos: perspectivas | 25 a 27/10/2017 Imprimir E-mail
Notícias - Eventos

Anunciamos que o I Colóquio “Psicanálise, gênero e feminismo: perspectivas” terá transmissão ao vivo!

.

Tendo em vista a capacidade de nosso auditório, as vagas presenciais para as conferências de nosso evento estão, infelizmente, esgotadas. A inscrição não será necessária, contudo, para as mesas da tarde do dia 25 de outubro, quarta-feira, sendo esses lugares preenchidos por ordem de chegada.

.

Assim, no intuito de democratizar o acesso aos debates e possibilitar a participação de quem não conseguiu se inscrever a tempo, anunciamos que nossas conferências terão transmissão ao vivo, bem como ficarão armazenadas no canal do YouTube do Instituto de Psicologia da USP.

.

Mais informações em https://generoepsicanalise.wordpress.com Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

.

coloquio genero psicanalise

.

PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira, 25 de outubro | Mesas simultâneas
13h30 – 15h30|Mesas simultâneas I

Sexuação e formalização: o real, a crítica e o grito| Sala 13, Bloco F

A anatomia não é o real | Nelly Lara de Brito (UERJ) e Heloísa Caldas (UERJ)
Estrutura ou dispositivo: como (re)pensar a diferença sexual hoje? | Mariana Ferreira Pombo (UFRJ)
Escuta “O Grito”, sexo e ser sexuado | Lilian Braga dos Santos (UNICAMP)

Exclusões e resistências| Auditório Carolina Bori, Bloco G

Um instante a mais, entre desobediência e diferença | Tainá Hilana Oliveira Pinto (UnB)
Travesti – monstrutivismo decolonial de gênero | Dodi Tavares Borges Leal (USP):
Psicanálise, feminismo e pós-colonialismo: debates sobre clínica e política | Ilana Mountian (USP)

Femininos, feminismos: perspectivas | Sala Aurora, Bloco B

Continente obscuro ou oceano de controvérsias? | Camila Terra da Rosa (UFRGS) e Amadeu de Oliveira Weinmann (UFRGS):
A história do feminino na psicanálise: perspectivas histéricas | Helena Canto, Julia Fatio Vasconcelos, Manuela Crissiuma, Mariana Angelini, Melina Rosa, Paula Rojas, Renata Conde (Grupo de estudos e trabalho em psicanálise e feminismo)
Uma nova perspectiva psicanalítica de promoção de saúde para as mulheres negras | Roda terapêutica das pretas

Dos saberes médicos ao sujeito | Sala 36, Bloco F

Depressão pós-parto e feminismo | Mariana Leal de Barros (FFCLRP-USP)
No hospital entre sexo e gênero, o sujeito intersexual | Heloene Ferreira da Silva (UERJ) e Sonia Alberti (UERJ)
Das transições dos sexos aos trânsitos dos discursos: psicanálise, sexualidade e jogos de verdade | Natasha Mello Helsinger (UFRJ)

15h45 – 17h45|Mesas simultâneas II

A performance entre a identidade e o ato | Sala 13, Bloco F

Psicanálise, pós pornografia e transfeminismo – uma análise de manifestações artísticas | Vitória Garcia Galhardo (FIB) e Antony Soares Simões (Uninove):
A formação de identidades de gênero na contemporaneidade – diálogos com a psicanálise | Marcela Ziola Gaspar (UNESP/Bauru):
Como fazer coisas com palavras: o caráter performativo da identidade | Fabiane Vertemati do Amaral Secches (USP):

Entre corpos e desejos | Auditório Carolina Bori, Bloco G

Uma teoria de gênero no idealismo alemão? Judith Butler leitora de Hegel | Rodrygo Rocha Macedo (UFSCar):
Nem sapo, nem princesa: terror e fascínio pelo feminino | Cassandra Perreira França (UFMG)
O “x” da questão – formar o corpo, transformar a língua? | Alejandra Mendez Vargas (Puc-Rio), Nelly Lara de Brito (UERJ) e Simone Perelson (UFRJ)

Violências e seus destinos | Sala 36, Bloco F

Violência contra a mulher: um estudo sobre o perfil dos agressores | Giovana Privatte Maciera (UNESP/Assis):
Misoginia e sexuações | Nelma Cabral (UNESA):
As transexualidades e o erro comum dos psicanalistas | José Stona (UFRGS)

Gênero e escuta: questões clínicas | Sala Aurora

O desejo é o destino: implicações éticas do psicanalista frente a um caso de castração química de homossexual | Mariana Rodrigues Festucci Ferreira (USP):
Os lances de Helena: o caráter híbrido da identidade de gênero em atendimentos psicanalíticos na Casa do Adolescente (UBS-SUS) | Alessandra Affortunati Martins Parente (USP) e Fabiana Duarte Takiuti (Sedes Sapientiae):
No Real da loucura, um lugar às mulheres | Iza Maria de Oliveira (PUC-SP, CAPS Colmeia)

Quinta-feira, 26 de outubro
O universal e seus avessos | 14h – 17h
Auditório Carolina Bori, Bloco G

O de-generado inconsciente: a temível ambigüidade do desejo e dos corpos| Pilar Errázuriz (Universidad de Chile)
Quem é vulnerável? Corpo, gênero e violência sexual sob o prisma da Antiguidade greco-romana | Sandra Boehringer (Université de Strasbourg)
Estudos de gênero e a sexuação em Lacan |Rafael Kalaf Cossi (USP)
Psicanálise e o Universal: Um desmentido do gênero, da raça e da classe da psicanálise? |Thamy Ayouch (Université Paris 7)

Sexta-feira, 27 de outubro
O gênero em análise | 09h – 12h
Auditório Carolina Bori, Bloco G

A transgeneridade em análise: romance familiar e cena de origem “fora do armário” |Patrícia Porchat (UNESP/Bauru)
Violências de gênero e(m) análise. Uma reflexão sobre escuta analítica e normatividade| Beatriz Santos (Université Paris 7)
Algumas considerações éticas e clínicas sobre a infância trans| Débora Tajer (Universidad de Buenos Aires)
Compreensão e reconstrução de si: a importância da psicanálise na minha trajetória trans| Guilherme Silva de Almeida (UERJ)

Transgressões | 14h – 17h
Auditório Carolina Bori, Bloco G

A Psicanalise tem o que dizer no campo da sexuação | Ana Maria Sigal (Sedes Sapientiae)
É possível ser ‘gender fucker? | Miriam Chnaiderman (Sedes Sapientiae)
Norma e subversão na Psicanálise: reflexões sobre o Édipo | Mara Caffé (Sedes Sapientiae)
A transgressão de gênero como desvio de normas sociais de conduta e sua leitura na clínica psicanalítica | Letícia Lanz (UFPR)

Atenção: Informamos que as inscrições para as conferências acima foram encerradas devido ao esgotamento das vagas, mas serão transmitidas ao vivo e gravadas.
As mesas simultâneas não precisam de inscrição e as vagas são preenchidas por ordem de chegada.

 


Instituto de Psicologia da USP

Av. Prof. Mello Moraes 1721
CEP 05508-030
Cidade Universitária - São Paulo - SP

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.