Especialistas discutem os desafios e angústias da “Geração Milênio” | 06/11/2017 Imprimir E-mail
Notícias - Notícias

Nascidos a partir dos anos 1980, a geração millenium vive em contato com a tecnologia: são nativos digitais que desfrutam do acesso a informações 24 horas por dia. Nesta semana, o programa Diálogos na USP busca entender o que define a nova juventude e de que modo acontecem as interações entre esses jovens e as gerações anteriores. 

leila 1

Leila Tardivo, coordenadora do Laboratório de Saúde Mental e Psicologia Clinica Social do Instituto de Psicologia da USP – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.

Convidada do programa, a professora Leila Tardivo, do Instituto de Psicologia (IP) da USP, lembra que a mudança de gerações é saudável, apesar de dificultar o diálogo com os mais velhos — as novas expressões que surgem no vocabulário são símbolo disso. “Costumo dizer que não podemos defender uma volta ao passado”, diz a professora.

Para Rodrigo Cunha da Silva, doutorando da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP  e um pesquisador do tema, a geração millenium apresenta pontos fortes como a capacidade de ser flexível para o horário de trabalho e ter mais tolerância com diferentes pontos de vista. Mas ela encontra dificuldades em lidar com a frustração e vive em busca de recompensas imediatas para esforços nem sempre consideráveis.

leila 2

Rodrigo Cunha da Silva, da FEA USP – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.

Leila  observa com preocupação a ocorrência de suicídios e automutilações que ocorrem entre os jovens atuais, mas também mostra como a juventude atual é capaz de encontrar novas soluções empreendedoras. “Vivemos de um lado um boom de tecnologia e criatividade, e, de outro, dados alarmantes de violência e de tédio, falta de interesse”, afirma.

Isso influencia no mundo dos negócios, que pode estar ou não mais aberto a recepcionar os millennials. “Se considerarmos que a maioria das empresas do Brasil tem um perfil mais rígido, tradicional, é um desafio que aparece bastante”, coloca Cunha.

leila 3Rodrigo Cunha da Silva (à esquerda) e Leila Tardivo no programa Diálogos da Rádio USP – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Ouça na íntegra a entrevista dada pela professora e pelo pesquisador ao programa Diálogos na USP emhttp://jornal.usp.br/atualidades/especialistas-discutem-os-desafios-e-angustias-da-geracao-milenio/

 


Instituto de Psicologia da USP

Av. Prof. Mello Moraes 1721
CEP 05508-030
Cidade Universitária - São Paulo - SP

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.