Av. Prof. Mello Moraes, 1721 – Bloco D

Cidade Universitária – São Paulo, SP  – 05508-030
Website: http://www.ip.usp.br/laboratorios/chronos/
Telefone: 55 11-9358-5986  elisa.ops@terra.com.br

O CHRONOS nasceu do desejo de um grupo de estudantes pós-graduação e graduação em iniciar um serviço voluntário de atendimento ao paciente de câncer e seus familiares. Posteriormente, esse grupo ampliou-se e hoje o Laboratório conta com diversos colaboradores da área da Saúde.
Mais do que um serviço, o Laboratório representa um posicionar-se frente a uma postura social, real e necessária.De onde vem o nome?O Laboratório recebeu o nome de CHRONOS, quando em 1994, ao final de um treinamento realizado pelo professora doutora Elisa Maria Parahyba Campos, uma das pacientes se lembrou da lenda a respeito do Amor e do Tempo:Conta-se que um dia a terra foi inundada por um enorme dilúvio, e que todos os sentimentos viram-se ilhados pelas águas que subiam perigosamente.O amor decidiu ajudar aos colegas, e foi dando um jeito de colocar a salvo cada sentimento. Ao final de algum tempo, viu-se rodeado pelas águas, sozinho, em situação de grande perigo.Fez sinais desesperados para os sentimentos que, a salvo, olhavam a cena. A alegria, a tristeza, o medo, enfim, todos tinham uma desculpa para não dar atenção ao amor, dizendo que não entendiam o que ele estava querendo dizer.
Finalmente, um velho passou em um barco e parou, transportando o amor para a margem, são e salvo. Ao virar-se para agradecer, o amor não viu mais o velho nem o barco.Consultando o oráculo, o amor perguntou que sentimento era aquele que havia percebido seu desespero, salvando-o. Foi lhe dito que aquele velho não era um sentimento, mas que era o Tempo, porque só o tempo é capaz de entender os sinais do Amor….E assim surgiu o nome CHRONOS – Centro de Recuperação em Oncologia e Saúde, mesmo nome dado pelos gregos ao Deus do Tempo.

Atividades Acadêmicas

Grupos de Estudos:
marcador2 Psicooncologia
marcador2 Núcleo de Estudos Interdiciplinares em Promoção de Saúde
marcador2 Pesquisas em Andamento

Psicooncologia

A partir dos progressos da medicina, como o surgimento das técnicas de remoção cirúrgica dos tumores ou a descoberta da radioterapia e quimioterapia como efetivas no combate ao câncer, percebeu-se que o aparecimento do câncer e submissão aos tratamentos são acompanhados de sofrimentos tanto para o paciente quanto para a família que o modelo biomédico já não é capaz de abarcar, apesar dos imensos progressos na área médica e farmacológica.
Cresceu então o número de médicos preocupados com os aspectos psicológicos dos pacientes e que solicitavam o auxílio da psiquiatria para o momento da informação do diagnóstico ou para que colaborassem na informação sobre os tratamentos assustadores.
O número cada vez maior de sobreviventes ao câncer também faz repensar a função do médico como único responsável pela saúde e cuidado ao paciente, uma vez que apesar de ter encerrado o tratamento, continuam as seqüelas não só físicas como psicológicas.
Surge então a Psico-Oncologia como área sistematizada do conhecimento que estudará estes aspectos. Para Bayès (1985) o desenvolvimento da Psico-Oncologia ou Psicologia Oncológica, como ele prefere chamar, tem vários fatos associados tais como:

  • o reconhecimento de que a etiologia e o desenvolvimento do câncer estão associados a fatores psicológicos, comportamentais e sociais;
  • ao fato da adesão ao tratamento, reconhecida como de extrema importância pela comunidade da área da saúde, estar associada a fatores de natureza social e psicológica, implicando na necessidade de desenvolver estratégias eficientes que possam assegurar a participação efetiva de pacientes oncológicos nas diferentes fases do tratamento;
  • o reconhecimento da importância de complementar a utilização da tecnologia medicamentosa com a comportamental na área de saúde;
  • ao fato dos avanços na área médica e tecnológica permitirem um aumento no número de sobreviventes e do tempo de sobrevida após o aparecimento do câncer, permitindo que profissionais de saúde passassem a ter como alvo a qualidade de vida de seus pacientes.

Schavélzon (1961) define a Psico-Oncologia como sendo o “ramo da Medicina que se ocupa da assistência ao paciente com câncer, do seu contexto familiar e social e dos aspectos médico-administrativos presentes no contexto desse paciente”.
Já para Jimmy Holland, fundadora do IPOS (International Psychoncology Society – Sociedade Internacional de Psico-Oncologia) esta área é “uma subespecialidade da Oncologia que procura estudar duas dimensões psicológicas presentes no diagnóstico do câncer:

  • o impacto do câncer no funcionamento emocional do paciente, sua família e dos profissionais envolvidos em seu tratamento;
  • o papel das variáveis psicológicas e comportamentais na incidência de sobrevivência do câncer.

A Psico-Oncologia, dentro de um princípio holístico de saúde, necessita de uma equipe multidisciplinar – médicos, enfermeiras, auxiliares, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, nutricionistas, etc – que no Brasil decidiram fundar a Sociedade Brasileira de Psico-Oncologia (SBPO), em 1994, estando ligada à Sociedade Internacional (IPOS).
Esta é uma área em formação no Brasil, que pretende ainda conquistar espaço para o desenvolvimento de cada vez mais trabalhos sérios de profissionais de saúde comprometidos com aquilo que deve ser a sua matéria-prima: o ser humano em todas as suas dimensões.
 

Núcleo de estudos interdiciplinares em promoção de saúde
O Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Promoção de Saúde é um espaço para estudos, pesquisa, discussões, reflexões e propostas teórico-metodológicas para as diversas áreas de conhecimento que compõe o cenário profissional e universitário. Os encontros acontecem quinzenalmente às segundas-feiras de 8h30 às 10h, tendo como processos o ensinar e o aprender, considerando que um fenômeno observado em qualquer sociedade, e nos grupos constitutivos destas, é responsável pela sua manutenção e perpetuação a partir da transposição dos modos culturais de ser, estar e agir necessários à convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo ou sociedade em determinada época.
Assim os estudos sobre promoção de saúde envolvem duas dimensões distintas: a conceitual que são os princípios, premissas e conceitos que sustentam o discurso da promoção de saúde e a metodológica que se refere às práticas, planos de ação, estratégias, formas de intervenção e instrumental metodológico. Logo considerar a promoção da saúde num contexto amplo, como resultado de determinantes sociais significa assumir que as mudanças econômicas, políticas, sociais e culturais que ocorreram no mundo desde o século XIX e que se intensificaram no século XX, produziram alterações significativas para a vida em sociedade hoje.
A saúde, sendo uma esfera da vida de homens e mulheres em toda sua diversidade e singularidade não está fora desse processo de transformação sócio cultural. Nas últimas décadas, tornou-se cada vez mais importante cuidar da vida de modo que se reduzisse a vulnerabilidade ao adoecer e as chances de que ele seja produtor de incapacidade, de sofrimento crônico e de morte prematura de indivíduos e população, evidenciando que a saúde parece ser um resultado dos modos de organização da produção, do trabalho e da sociedade em determinado contexto histórico e o aparato biomédico não consegue modificar os condicionantes nem determinantes mais amplos desse processo, operando um modelo de atenção.

Pesquisas em andamento

Atuação dos Psicólogos nas Políticas Públicas de Atenção Básica à Saúde
Objetivo: Verificar de que forma as políticas de atenção básica à saúde tem sido contempladas no trabalho dos psicólogos realizados em instituições públicas de saúde na cidade de Santo André, a fim de possibilitar discussões e construções mais sólidas e delimitadores do papel do psicólogo, que orientem para uma prática comprometida com a realidade brasileira.
Pesquisadora: Rebecca de Cássia Daneluci
Orientadora: Profa. Dra. Elisa Maria Parahyba Campos
Título: Mitos e crenças em cancêr
Pesquisadora: Profa. Dra. Elisa Maria Parahyba Campos
Para mais informações, acesse: http://www.ip.usp.br/laboratorios/chronos/pages/atividades.html

Serviços à Comunidade

Atendimento psicológico gratuito

O CHRONOS-USP funciona junto a Clínica-Escola do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e oferece atendimentos aos pacientes com câncer e aos seus familiares por meio das seguintes atividades:

  • plantão telefônico e no local em horários semanais para esclarecimentos sobre o funcionamento do serviço e agendamento de entrevista inicial;
  • entrevistas iniciais com horário marcado previamente por telefone;
  • Psicoterapia Breve Individual ou em Grupo a pacientes com Câncer e Familiares;
  • Grupo semanal de caráter informativo aberto aos pacientes, familiares e à comunidade, propiciando a troca de experiências e buscando facilitar a compreensão e a aceitação da nova realidade. Poderão participar pessoas que tenham ou não realizado a entrevista inicial;
  • grupos de espera para os pacientes cujos procedimentos (cirurgia, quimioterapia, radioterapia etc.) não sejam de realização imediata.

É fundamental que as pessoas que nos procurem, caso sejam portadoras de câncer, tenham um oncologista ou serviço hospitalar ao qual estejam ligadas e que se responsabilizem pelo paciente do ponto de vista médico. Será pedida esta declaração no caso do paciente continuar sendo atendido pelo Serviço depois da entrevista de triagem.

Equipe

Coordenadora
Profa. Dra. Elisa Maria Parahyba Campos
Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1973), especialização em Psicodrama pela Sociedade de Psicodrama de São Paulo (1977), especialização em Psicologia Hospitalar pelo Conselho Regional de Psicologia (2000), mestrado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (1983) e doutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (1991). Atualmente é PROFESSOR DOUTOR da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psico-Oncologia. Atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia clínica, PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA, IDENTIDADE DO PSICOTERAPEUTA.
Currículo Lattes
elisa.ops@terra.com.br

Colaboradores
Ana Paula Alves Lima Santos
Possui graduação em Psicologia (Universidade Tiradentes. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Hospitalar. Especialista em Psicologia Clínica Hospitalar ( Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). Atualmente é mestranda em Psicologia Clínica (Universidade de São Paulo).Colaboradora e pesquisadora do Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP e no Hospital Universitário- USP
Curriculo Lattes
anaalvespsi@yahoo.com.br

Clarice Fernandes de Castro Guimarães
Psicóloga Clínica  (Unimarco),Psicanalista  (Instituto Sedes Sapientiae),Especialista em Psicoterapia Breve de Orientação Psicanalítica (Unimarco),Especialista em Psicologia da Saúde, Psicologia Hospitalar e Psico-Oncologia (IP-USP), Colaboradora do Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP
claricefcguimaraes@yahoo.com.br

Daniela Tsubota
Graduanda em Psicologia (USP), Estagiária de Psicologia no (Hospital SEPACO). Colaboradora e pesquisadora do Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP, Pesquisadora do Laboratório da Visão – IP/USP.
Currículo Lattes
daniela.tsubota@gmail.com

Flávia Ribeiro Sayegh
Psicóloga da ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia). Especialista em Psicologia Hospitalar (Hospital do Servidor Público Estadual-HSPE) e especialista em Psico-oncologia (Hospital do Câncer A.C.Camargo); Graduada em Psicologia (PUC-Campinas), Colaboradora e pesquisadora no Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde) –IP/USP.
Currículo Lattes
flavinharibeiros@hotmail.com

Ivete de Souza Yavo
Psicóloga, Professora (Universidade Nove de Julho), Especialista em Psicossomática (Instituto Sedes Sapientae), Mestre em Psicologia pelo núcleo de Subjetividade e Saúde Coletiva (UNESP/Assis); Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Psicologia Clínica do IP/USP; Colaboradora e pesquisadora do Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP
Currículo Lattes
ivesouza@uol.com.br

Luciana Dias da Silveira Magalhães
Psicóloga (Hospital Estadual Infantil Darcy Vargas), Aprimoramento em Psicoterapia de Criança e Adolescente (PUC-SP), Aprimoramento em Psicologia Clínica e Hospitalar (Hospital do Servidor Público Estadual-HSPE), Graduação em Psicologia (PUC-SP). Colaboradora e pesquisadora no Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP.
ludsmagalhaes@terra.com.br

Marilia Zendron
Psicóloga (Instituto Paulista de Cancerologia-SP). Especialista em Terapia de Família e Casal (PUC-RJ), Especialista em Psico-Oncologia (Hospital do Câncer A.C. Camargo-SP), Graduada em Psicologia (PUC- RJ).  Colaboradora e pesquisadora no Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP.
Currículo Lattes
marilia.zendron@gmail.com

Mirian Aydar Nascimento Ramalho
Psicóloga (Hospital Infantil Darcy Vargas), graduada em Psicologia (USP), Especialista em Psicologia Hospitalar e Psico-Oncologia, Mestre em Saúde Coletiva (Instituto de Pesquisa da Secretaria de Estado de Saúde-SP), doutoranda em Psicologia Clínica (USP), colaboradora e pesquisadora no Laboratório CHRONOS(Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde )-IP´/USP, psicóloga voluntária no Serviço de Atendimento Domiciliário do Hospital Universitário – USP ( PAD-HU-USP) e na Casa de Apoio à criança com câncer Eduardo Cavicchio (CAJEC)
miriananr@uol.com.br

Miriam Ibrahim
Psicóloga clínica (Metodista), especialista em Psicmotricidade (ISPE-GAE), especialista em Neuropsicologia (UNIFESP), aperfeiçoamento em Psicologia Hospitalar (HC-USP),Especialista em Nutrição Ortomolecular.Colaboradora do Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP, Diretora ,sócia-proprietária da Academia Quality Fit.
miriam-ibrahim@uol.com.br

Rebecca de Casia Daneluci
Mestranda em Psicologia Clínica (USP); Aprimoramento em Psicologia Clínica (Hospital do Servidor Público Estadual-HSPE), Graduação em Psicologia (Universidade Metodista de São Paulo); Colaboradora e pesquisadora no Laboratório CHRONOS (Centro Humanístico de Recuperação em Oncologia e Saúde)-IP/USP e no Hospital Universitário- (HU/ USP)
rdaneluci@usp.br