O Laboratório Psicanálise e Sociedade tem como  objetivo geral promover a investigação psicanalítica dos eventos sociais. Articula a constituição da subjetividade à construção do laço social, elucidando os modos pelos quais as transformações em um dos polos refletem-se em modificações no outro, observando a formação de sintomas pessoais e sociais e analisando suas repercussões teóricas e clínicas. Essa investigação deve ser realizada com os instrumentos da Psicanálise – a sua teoria e os seus fundamentos metodológicos, filosóficos, éticos e epistemológicos.

Os seus trabalhos são desenvolvidos também no Núcleo de Estudos e Pesquisa Psicanálise e Política, no Programa de Estudos Pós-graduados em Psicologia Social, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Está vinculado também ao Grupo de Pesquisa CNPq: Sujeito, sociedade e política em psicanálise, ao Núcleo de Estudos e Pesquisa Psicanálise e Política da PUC - São Paulo, ao Laboratório de Pesquisa em Psicanálise, arte e política da UFRGS e ao GT Psicanálise, arte e política da ANPEPP. Estabelece parceria ético-política com o Núcleo Lógicas institucionais e coletivas, do programa de Psicologia Social da PUC-SP, coordenado pela Prof. Dra. Maria Cristina Vicentin.

O Laboratório Psicanálise e Sociedade tem desenvolvido vários projetos: Psicanálise, Sujeito e Sociedade, Os impasses da subjetivação na adolescência, dadas as atuais configurações familiares e Clínica e Cultura: Dispositivos de intervenção psicanalítica. Tem pesquisado e produzido  particularmente  sobre as expressões da violência; os efeitos e as dimensões coletivas do trauma, do desamparo e da violação de direitos; as modalidades de resistência e enfrentamento dos sujeitos nas situações de violência/vulnerabilidade; a construção/transformação do laço social na contemporaneidade; a imigração e migração; o desenvolvimento de práticas clínico-políticas de intervenção.

As linhas de pesquisa em destaque em suas parcerias de pesquisa são:

  • adolescência/juventude em conflito com as leis
  • intervenções/dispositivos clínico-políticos.
  • Violências: sujeito e política

Outras linhas são:

  • Psicanálise e imigração e migração
  • Transmissão e Família: novas configurações, novos laços.
  • A criança no contexto sócio-político atual.
  • Gênero, política e Psicanálise

Dois projetos estão em desenvolvimento nesta parceria com o Núcleo Lógicas institucionais e coletivas do da PUC-SP:

  1. “Práticas de Justiça Restaurativa e Sistema de Justiça Juvenil”, que visa realizar uma leitura crítica das práticas restaurativas nas suas interfaces com o Sistema de Justiça Juvenil;
  2. “Responsabilidade e responsabilização: diálogos entre psicologia, psicanálise e Sistema de Justiça Juvenil”, que visa realizar uma leitura crítica da conceituação de responsabilidade e responsabilização nas suas interfaces com o Sistema de Justiça Juvenil e com a Justiça Restaurativa.

Promove reuniões semanais, com temática programada anualmente. Elabora também propostas de intervenção clínica e social, de prevenção e de tratamento para o sofrimento humano promovido por fatores psíquicos e/ou sociais, assim como supervisão de atendimento institucional e clínico e  prestação de serviços à comunidade. Além disto, o Laboratório favorece a difusão de conhecimentos e o intercâmbio entre pesquisadores através da promoção de cursos, seminários e reuniões científicas e incentiva, coordena e promove publicações científicas de artigos e livros. Pretende produzir um arquivo de informações bibliográficas na área.

 

Atividades Acadêmicas

Doutorados concluídos
  1. O psicanalista no tribunal da família: possibilidades e limites de um trabalho em instituição. Hélio Cardoso de Miranda Júnior
  2. Acompanhamento Terapêutico e estrutura psicótica Mauricio Hermman
  3. Lacan leitor de Freud: a realidade e construção do conceito de gozo e objeto a. ESTEVÃO, Ivan Ramos.  
  4. Reinventando gênero na psicanálise – do transsexualismo à política. KNUDSEN, Patricia Porchat.
  5. A mulher prostituta e o feminino: problematização da psicanálise. Dorotéa Santana de Andrade. Co-tutela Université Louis Pasteur de Strasbourg – Pr. Serge Lesourd, 2011.
  6. A experiência do luto em situação de violência: entre duas mortes. Sandra Luzia de Souza Alencar, 2011
  7. Entre a utopia e o mal-estar:reflexões psicanalíticas sobre os militantes do MST e seus dilemas. Eliane Domingues,2011.
  8. O anonimato da morte: luto e laço social na adolescência.
  9. Viviane Sousa do Carmo. Co-tutela de  Mme. Laurence Gavarini – 03/04/2009, Université de Paris 8, 2011.
Doutorados em andamento
  1. Um estudo psicanalítico sobre a teoria do trauma e suas conseqüências na clínica. Sandra Berta – USP, bolsa CNPQ
  2. A construção da imagem corporal em crianças hiperativas. Cristine Lacet – USP, Bolsa CNPQ
  3. Da sustentação ao sintoma: possibilidade de sustentação subjetiva. Clarissa Metzger –USP, Bolsa CNPQ
  4. Os devires do diagnóstico psicológico como dispositivo na produção do laço social com adolescentes em situação de vulnerabilidade. Soraya Souza - bolsista CNPQ- PUC-SP
  5. A política e a arte no cálice do mal estar: uma embriaguez contemporânea. Luiz Palma (2o sem 2009).PUC-SP
Mestrados concluídos
  1. Sandra Leticia Berta. O exílio: vicissitudes do luto, reflexões sobre o exílio político dos argentinos (1976-1983). 2007.
  2. Marta Quaglia Cerrutti. Bate-se em uma mulher: impasses da vitimização. 2007.
  3. Alcione Carolina Gabriel Silva. Psicanálise e Política: Do esquecimento às vicissitudes. 2007.
  4. Maria Isabel Gonçalves Henriques. Com a palavra: adolecentes em conflito com a lei - contribuições da psicanálise nas medidas sócio educativas de prestação de serviço à comunidade. 2007.
  5. Refugiados de Timor Leste: Uma análise social e seus desdobramentos subjetivos. Marcio Gagliato.
  6. Imigração e a mulher – a psicanálise no resgate da transmissão da história familiar. Letícia de Andrade Vilela
  7. Configurações e mitos familiares das famílias afro-descendentes. Reimy Solange Chagas
  8. O estrangeiro e o mal estar contemporâneo. Relações entre narrativa e visibilidade. Bruno Maya
  9. O ato infracional do adolescente como uma resposta à configuração social contemporânea. Manoela de Oliveira Lainetti
  10. Família, migração e políticas sociais. Maria Luiza Cobra
Mestrados em andamento
  1. Formas de subjetividade sob o espetáculo: uma aproximação entre Guy Debord e a Psicanálise. Christian Campos de Oliveira Haritçalde, USP, Bolsa CNPQ
  2. Do discurso do isolamento à ética da solidão. Isabel Tatit  PUC-SP, bolsa CNPQ
  3. O crack no laço social: rupturas em um discurso consensual. Rodrigo Alencar PUC-SP, bolsa CNPQ
  4. A Lei na psicanálise e no direito: estudo sobre suas relacoes e tensoes RAFAEL ROCHA DAUD, PUC-SP, CNPQ

Serviços à Comunidade

Desenvolve desde 2004 o Projeto de Extensão e Cultura, IP-USP, Migração e Cultura: Experiências de atendimento a pessoas em situação de vulnerabilidade psíquica e social.

A partir de 2011 desenvolve Projeto de Extensão e Cultura, IP-USP A escuta clínica e a instituição educativa: possibilidades de diálogo no cursinho popular da psicologia”.

Eventos