Núcleo de Educação Terapêutica: o IPUSP se inclui na inclusão

Por Ariane Alves
Edição e revisão por Islaine Maciel e Maira Isabel Leme

 

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO TERAPÊUTICA: O IPUSP SE INCLUI NA INCLUSÃO

IMG 0366Desde abril de 2013, funciona no Serviço de Psicologia Escolar do IPUSP o Núcleo de Educação Terapêutica. Voltado para a inclusão escolar, o projeto auxilia no desenvolvimento de crianças com problemas na constituição psíquica, no processo de escolarização ou com dificuldades na interação social. O Núcleo, coordenado pela Profa. Dra. Maria Cristina Machado Kupfer, conta ainda com mais três profissionais. As psicólogas Ana Beatriz Coutinho Lerner e Paula Fontana Fonseca orientam e supervisionam as atividades da equipe de alunos de graduação do 4º ou 5º anos ao longo dos encontros, enquanto a também psicóloga Yara Sayão coordena o grupo de escuta de educadores sobre inclusão escolar.

A atuação dos graduandos ocorre a partir dos trabalhos propostos por disciplinas como Prática de Pesquisa em Psicologia, Trabalho de Pesquisa e Ações Comunitárias. Além disso, o Núcleo oferece bolsas a quem deseja estagiar pelo programa Aprender com Cultura e Extensão, oferecido pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

Um dos princípios orientadores da composição dos grupos de crianças é a heterogeneidade. Há crianças diagnosticadas com transtorno do espectro autista, distúrbios globais do desenvolvimento, fobias, inibições, entre outras condições. As psicólogas acreditam que essa diversidade é significativa pois, como Maria Cristina costuma definir, é importante pensar o que uma criança pode fazer pela outra, investigando a formação e a manutenção dos laços sociais. A variedade de histórias que cada uma pode compartilhar é algo muito positivo do ponto de vista terapêutico.

As sessões trazem contribuições importantes para o desenvolvimento das crianças participantes, como a ampliação do uso das linguagens verbal e não-verbal, demonstrações mais recorrentes de afeto, passagem de brincadeiras mecânicas para simbólicas, múltiplas interpretações para as histórias contadas e a inclusão do “outro” nas atividades.

O Núcleo não trabalha em função dos diagnósticos, pois não objetiva uma “cura” ou a eliminação dos sintomas. A ideia que o norteia é a de ampliação de repertórios para as crianças, aumentando as possibilidades de interação.

Quanto aos educadores, eles recebem apoio no grupo de escuta sobre inclusão escolar, que tem o objetivo de promover a construção de novas possibilidades de intervenção por meio da reflexão e do diálogo.

Já os alunos da graduação conse-guem articular a teoria com a prática, refletem sobre o papel da Psicologia no universo escolar e, principalmente, vivenciam  uma questão bastante atual, que é justamente a inclusão dessas crianças nas escolas regulares.

Dessa forma, o Núcleo de Educação Terapêutica pretende ampliar as atividades de extensão do Serviço de Psicologia Escolar, de forma articulada às atividades já desenvolvidas nos âmbitos de ensino e pesquisa.

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

O Núcleo presta atendimento tanto às crianças (de 5 a 9 anos) quanto aos educadores. Elas participam uma vez por semana de sessões individuais de orientação psicanalítica e uma vez por semana de atividades em grupo – oficinas de histórias, jogos educativos, brincadeiras e momentos de leitura e escrita, além de serem acompanhadas no ambiente escolar.

Já os educadores, das redes pública e privada, são atendidos no grupo de escuta sobre inclusão escolar. As reuniões são abertas, gratuitas e ocorrem no Bloco D do IPUSP. Os interessados devem solicitar agendamento pelo e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..