Normas Editoriais

 

A psico.usp é uma revista online de acesso aberto e irrestrito do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IPUSP), que nasce como um canal de comunicação dessa instituição com a sociedade, visando principalmente a divulgação das pesquisas e trabalhos produzidos internamente ao público geral. Além de estudos, a psico.usp contempla também conteúdos sobre as atividades de formação, os serviços oferecidos à so­ciedade, o cor­po docente e de funcionários, entre outros. Todas as pesquisas e demais fontes são tratadas com pleno respeito às diversidades teórica, epistemológica e metodológica que caracterizam a Psicologia, buscando assim a pluralidade, em sintonia com os valores da universidade.

a

1. Qual é o objetivo da psico.usp?

Democratizar o acesso à informação científica em Psicologia, promovendo maior conhecimento da área pela população em geral. Tem-se ainda em vista o fortalecimento de reflexões e debates sobre questões estudadas no IPUSP relevantes à sociedade. Desta forma, tanto o layout quanto a linguagem usados na psico.usp se afastam daqueles das revistas acadêmicas, que publicam artigos científicos.

a 

2. Qual é o tom da psico.usp?

Sempre pensando em um público diversificado e que não necessariamente esteja familiarizado com a Psicologia, busca-se a utilização de uma linguagem clara e acessível, mas nunca facilitadora no sentido de banalizar conceitos mais complexos. Procura-se, por exemplo, a elucidação de termos próprios da Psicologia ou do universo acadêmico que ainda não tenham sido muito usados na grande mídia, ao invés de simplesmente excluí-los para não dificultar a leitura.

Quanto ao layout, seguindo parâmetros semelhantes ao da linguagem (visando maior acessibilidade), ele está mais próximo das revistas comerciais de difusão científica do que propriamente dos periódicos acadêmicos. Com muitas ilustrações e utilização de infográficos, box e outros recursos visuais, o intuito é propiciar uma leitura mais leve e agradável.

aa

3. Qual o público da psico.usp?

O público da  psico.usp é formado por aqueles que se interessam pelas questões relativas à Psicologia, não estando eles necessariamente ligados à área ou ao universo acadêmico. Tendo isso em mente, a internet pareceu a via mais adequada, pois alcança uma grande variedade de indivíduos no Brasil e mundo afora, de maneira imediata, ampla e irrestrita.

 a

4. Quais as principais categorias de conteúdos da psico.usp?
Para atender à gama de temas e subtemas que envolve a Psicologia e também contemplar  todos os departamentos do IPUSP, a psico.usp se organiza nas seguintes  editorias. Cada uma delas obedece à seguinte estrutura: uma matéria principal e duas notas. Em cada número, uma das editorias é escolhida para ser capa da revista.

A pauta assim contemplada é desenvolvida em mais de uma matéria, com o intuito de se explorar o assunto da forma a mais abrangente possível, envolvendo assim considerável número de pesquisas e de entrevistados.

Além disso, no sentido de abarcar outros segmentos do instituto (como atividades de formação, serviços oferecidos à so­ciedade, personalidades, opiniões e talentos artísticos da comunidade IPUSP, etc.), a psico.usp possui ainda seis seções:

- Mural do IP: abre a revista informando sobre o que há de novo no IPUSP;

- Perfil: conta a trajetória de uma personalidade da comunidade IPUSP (professor,  pesquisador ou funcionário);

- Commentor: coluna na qual um docente escreve sobre assunto de sua escolha, ligado à Psicologia;

- Lançamentos: apresenta obras publicadas por membros da comunidade IPUSP;

- Psico-HQ: espaço dedicado à participação de escritores, ilustradores e cartunistas que queiram contribuir com charges e histórias;

- Outro Olhar:  reúne imagens registradas pela comunidade, fechando a publicação.
a
5. Quais são as fontes dos conteúdos?
Todas as matérias e notas das editorias, corpo principal da revista, são desenvolvidas com base em pesquisas do IPUSP, desde a iniciação científica da graduação, passando pelas dissertações de mestrado e teses de doutorado da pós-graduação, até projetos de pós-doutorado e trabalhos de livre-docência. Podem ser contemplados ainda artigos científicos publicados em periódicos da área, bem como apresentações de trabalhos dentro e fora do instituto, desde que sejam fruto dos estudos aqui realizados.

Conteúdos de eventos científicos ocorridos no IPUSP ― palestras, seminários, simpósios, congressos, etc.  ― porém ministrados ou apresentados por pesquisadores de fora, podem ser fonte da psico.usp como enriquecimento de uma pauta cujo fio condutor é sempre uma ou mais pesquisas do IPUSP.

Além do conteúdo escrito (dissertações, teses, relatórios, artigos, etc.), serão utilizadas as áudio-gravações (com prévia autorização) de entrevistas com os pesquisadores, sempre que possível. Material referente ao desenvolvimento da pesquisa e a seus participantes (fotografias, vídeos, depoimentos, bibliografia, demonstrações, etc.), com o qual o pesquisador possa contribuir, será bem-vindo, desde que repeitados o parecer do Comitê de Ética da própria pesquisa e a autorização de divulgação de imagem (por escrito). Em caso de imagens de menor de idade, a autorização será dada e assinada pelo respectivo responsável (mãe, pai, tutor, etc.). E no caso de participação em demonstrações ou outras abordagens, o menor deverá sempre estar acompanhado pelo responsável do começo ao fim da atividade.

Já em relação às seções (Mural do IP; Perfil; Commentor; Lançamentos; Psico-HQ; Outro Olhar), cada uma tem suas próprias fontes de acordo com suas especificidades, sempre com a devida autorização dos autores.

 a

6. Quem propõe conteúdo para a psico.usp?

Todos podem sugerir assuntos a serem abordados na psico.usp: a equipe do IP Comunica (responsável por sua produção), as comunidades IPUSP e USP em geral (pesquisadores, docentes, funcionários, alunos, prestadores de serviços, usuários dos serviços à comunidade e de projetos de extensão), participantes dos canais digitais do IPUSP (site, facebook e email), os leitores da revista, etc.

 a

7. Quem escolhe e como se dá a seleção das pautas?
É prerrogativa dos responsáveis pela produção da psico.usp discutir e selecionar as pautas e respectivas pesquisas. Dentre os critérios para tal seleção busca-se trabalhos que respondam, direta ou indiretamente, a questões de inte­resse mais imediato da sociedade. Além disso, considera-se também a relevância dos estudos para o IPUSP e a Psicologia como um todo.
Opiniões e sugestões dos pesquisadores e demais colaboradores serão sempre consideradas, sem implicar, entretanto, em comprometimento da equipe de produção da revista em acatá-las.
a
8. Quem escreve, revisa e edita os textos?

A produção escrita (redação, revisão e edição) de todas as editorias bem como das seções Mural do IP, Perfil e Lançamentos é realizada basicamente pela equipe do IP Comunica (Apoio Institucional). Em caráter excepcional, pode haver aproveitamento de textos de pesquisadores, docentes, funcionários e outros colaboradores, desde que sejam aprovados pela equipe de produção da revista psico.usp e devidamente autorizados pelos autores possíveis edições e revisões.
Quanto às seções Commentor, Psico-HQ e Outro Olhar (em caso de haver alguma escrita), pelo próprio caráter colaborativo desses espaços, cabe inteiramente aos autores a redação, sendo mínimas as interferências relativas à edição e revisão, desde que cumpridos os limites de tamanho dos textos, previamente estabelecidos.

9. Quem escolhe e como se dá a seleção das imagens?
A produção e seleção audiovisual (fotografias, ilustrações, infográficos, vídeos, áudio-gravações, etc.) de todas as editorias bem como das seções Mural do IP, Perfil, Commentor e Lançamentos são realizadas basicamente pela equipe do IP Comunica (Apoio Institucional). Contudo, material dessa natureza disponibilizado pelos pesquisadores e demais colaboradores é bem-vindo (sendo inclusive prática do IP Comunica estimular essa contribuição), desde que repeitados o parecer do Comitê de Ética da própria pesquisa e a autorização de divulgação de imagem (por escrito).
Quanto às seções Psico-HQ e Outro Olhar, cabe aos próprios colaboradores a seleção, desde que cumpridos certos parâmetros (espaço, duração, resolução, etc.) previamente estabelecidos.
a
10.
Qual o papel dos pesquisadores e demais colaboradores na elaboração da
psico.usp?

Sendo o objetivo da revista justamente o de divulgar os estudos do IPUSP, a principal atribuição dos pesquisadores e demais colaboradores é como fonte dos conteúdos, em caráter voluntário e cooperativo. Todavia, não se encerra aí o seu papel. Conforme pode ser verificado nos itens 5 a 9, pesquisadores e demais colaboradores são fundamentais em todas as etapas de elaboração da revista, cabendo, no entanto, à equipe de produção, todas as decisões finais.
aa

11. Os pesquisadores e demais colaboradores serão remunerados pela contribuição?

Não. Pesquisadores e demais colaboradores contribuem de forma voluntária, sendo a retribuição a própria divulgação de seus trabalhos.