06 abr 2021

O Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP concedeu o título de professor honorário a quatro de seus ex-diretores: Jacques Marcovitch, Umberto Giuseppe Cordani, João Evangelista Steiner e César Ades, estes dois últimos in memoriam.

O título é concedido aos professores aposentados da USP que muito contribuíram e contribuem com o instituto.  Nomes como Alfredo Bosi, Antonio Candido de Mello e Souza, Aziz Nacib Ab’Sáber e José Goldemberg já foram agraciados com a láurea.

A cerimônia virtual foi realizada no dia 25 de março durante a 200ª reunião do Conselho Deliberativo do instituto e contou com a presença do reitor Vahan Agopyan, de dirigentes e docentes da Universidade, além de familiares dos professores homenageados.

O diretor do IEA, Guilherme Ary Plonski, deu início à homenagem enfatizando o papel de vanguarda do instituto, criado em 1986, como um “órgão de integração destinado à pesquisa e discussão, de forma abrangente e interdisciplinar, das questões fundamentais da ciência e da cultura”.

A apresentação dos titulados foi feita pelo professor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e membro do Conselho Consultivo do IEA, Sérgio França Adorno de Abreu.

“Cada um dos homenageados contribui para rememorar a grandeza desta instituição e sua capacidade de ter um papel de liderança no campo da ciência, da tecnologia e da cultura. No IEA, todas as inteligências da Universidade, em vários campos de atuação, se convergem”, destacou.

O reitor da USP, Vahan Agopyan, falou sobre a importância de apresentar “as pessoas que transformaram esta Universidade na liderança que ela é às novas gerações”. “Os quatro homenageados, com os quais tive o prazer de trabalhar em diferentes épocas, são excelentes pesquisadores e conseguem enxergar a sociedade e a universidade de maneira mais ampla, conseguem prever as dificuldades do futuro e almejar coisas novas. São pessoas destacadas e tem que ser homenageadas”, ressaltou.

Segundo ele, o “IEA tem uma função vital na concepção de uma universidade moderna, que não tem medo de debater, discutir e pesquisar assuntos que não cabem dentro de uma unidade, de um departamento, de um instituto. E, agora, depois da pandemia, essa função será mais demandada. O IEA tem essa missão de repensar a universidade”.

(Da esq. p/ dir.) Os professores Jacques Marcovitch, Umberto Giuseppe Cordani, João Evangelista Steiner e César Ades – Foto: Reprodução

Os homenageados

O psicólogo César Ades foi uma referência nacional e internacional em etologia (estudo do comportamento dos animais). O psicólogo foi diretor do IP-USP de 2000 a 2004 e vice-diretor de 1998 a 2000. Em 2004 ingressou no Conselho Deliberativo do IEA.

César Ades graduou-se psicologia em 1965 no Instituto de Psicologia (IP), onde se tornou professor titular em 1994. Suas principais linhas de pesquisa estavam na área de Etologia e Comportamento Animal. Foi membro do Conselho Deliberativo do IEA, de 2004 a 2008, e diretor do instituto de 2008 a 2011. Foi diretor do IP de 2000 a 2004 e vice-diretor de 1998 a 2000. Participou do Conselho Deliberativo do Hospital Universitário da USP de 2000 a 2004. Morreu em março de 2012, vítima de atropelamento.

Jacques Marcovitch foi diretor do IEA entre 1989 e 1993. É professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e dedica-se ao estudo do pioneirismo empresarial, estratégia e inovação com foco no crescimento econômico, na distribuição de renda e na sustentabilidade ambiental. Desde 2002, tem pesquisado as políticas de implantação da Convenção do Clima com ênfase na redução dos gases de efeito estufa na atmosfera. Foi reitor da USP, pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária e diretor da FEA.

Umberto Giuseppe Cordani é professor titular do Instituto de Geociências (IGc). Seus principais interesses de pesquisa são a Geocronologia e Geoquímica isotópica, aplicadas a estudos de Geotectônica. Suas linhas de pesquisas incluem a evolução crustal do continente sul-americano, bem como vários temas regionais de evolução tectônica, no Brasil e países vizinhos. Além disso, tratou de temas relativos aos métodos radiométricos K-Ar, Rb-Sr, Sm-Nd, U-Pb e Ar-Ar, e ao desenvolvimento de metodologias interpretativas para datação de rochas sedimentares. Foi diretor do IEA entre 1994 e 1997.

João Evangelista Steiner foi professor titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Atuou na área de Astronomia, com ênfase em Astrofísica Estelar e Núcleos Ativos de Galáxias. A lista de seus trabalhos em prol da astronomia brasileira é robusta: a modernização do Observatório Pico dos Dias; a criação do Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA) e a participação nacional decisiva no consórcio dos observatórios Gemini e Soar, ambos no Chile. Steiner dirigiu o IEA de novembro de 2003 a 2007. Faleceu em setembro de 2020.

Por Adriana Cruz
Publicado originalmente em Jornal da USP 

IP Comunica | Serviço de apoio institucional
Av. Prof. Mello Moraes, 1721 - sala 26
Cidade Universitária - São Paulo, SP

Noticias Relacionadas