19 jun 2020

Já pensou em algo que você deseja muito que aconteça? Pode ser a casa dos seus sonhos, uma viagem para uma praia paradisíaca ou um trabalho melhor ganhando mais. Muitos dizem por aí que é só pensar no que desejamos para conquistarmos, que o sonho vai virar realidade. Que dinheiro, amor e saúde estão ao nosso alcance, basta pensarmos positivo. Mas, o que diz a ciência sobre isso?

Em primeiro lugar, vale ressaltarmos que o ato de pensar positivamente, por si só, não é capaz de fazer nada acontecer. De acordo com o psicólogo Christian Dunker, professor de Psicologia Clínica na USP (Universidade de São Paulo), não podemos associar que o pensamento muda o mundo, pois não há ação direta sobre isso.

Mas o grande ponto é que ele pode ser uma mediação para reencontrarmos o que “queremos” que aconteça. E, se agirmos em conformidade com isso, podemos mudar a realidade ao nosso redor e nos mudarmos.

O pensamento positivo é como um sonho, só que acordado. Ele nos ajuda a sabermos para onde queremos ir, mas para andarmos têm que ser com as próprias pernas Cristian Dunker, psicólogo.

 

Uma mistura de emoções e atitudes

A neurocientista Carla Tieppo, professora da FCMSC-SP (Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo), explica que o pensamento positivo começa a trazer mudanças a depender do sentimento que ele provoca. “Essas reações geram determinadas construções químicas no nosso cérebro, como liberações de hormônios, manipulação de neutransmissores, que produzirão efeitos fisiológicos, ligados ao sistema endócrino, e que, por isso mesmo, são poderosos no ponto de vista da minha qualidade de vida, daquilo que eu estou usufruindo”, esclarece a neurocientista.

Tieppo complementa explicando que é por isso que as pessoas costumam dizer que o pensamento positivo é muito poderoso, porque se usado da forma certa, conseguimos encontrar uma dinâmica mental que, em vez de nos empurrar para o pessimismo, a perda, o medo, a ansiedade, consegue nos levar para um lugar de oportunidades.

A partir daí, é importante transformá-los em ações: o psiquiatra Diogo Lara, professor titular de Psiquiatria da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), explica que existe um tipo de pensamento positivo que se traduz em uma oportunidade para o crescimento. “Nele se leva em conta de que maneira o meu empenho pode mudar essa situação, com que pessoas posso contar, o que posso aprender com essa situação, que são pensamentos que realmente levam ao crescimento”, ressalta o especialista. Isso, a longo prazo, resultará em uma evolução.

 

Mas existe pensamento positivo ruim?

Lara também ressalta que existe um pensamento positivo que é menos producente. “Nele a pessoa fica se enganando, se puxando para cima, se elogiando”. Para o especialista, esse modelo é mais vazio, e sua motivação dura pouco. Dunker complementa, lembrando da crença que alguns coaches e psicólogos disseminam que o pensamento positivo por si só protege, transforma o futuro, criando reações na realidade, o que causa um impacto bastante negativo em quem o encara dessa forma.

“É igual a quem se convence de que é incrível, especial, com super poderes. E na hora que enfrenta a realidade, se machuca muito, pois criou expectativas exageradas sobre si, criando um excesso narcísico muito doloroso quando encontrar a realidade”, exemplifica o especialista. Quando isso ocorre, a pessoa pode se tornar arrogante e ter dificuldade em aceitar críticas. “Vai se transformar em um indivíduo que diante dos obstáculos, aumenta a sua fé, mas não aumenta a sua capacidade de agir no mundo ou de se transformar”, enfatiza Dunker.

 

Será que pensar negativo faz mal?

A resposta é depende. Existem momentos em que devemos nos preparar mentalmente para os riscos. Por exemplo, quando vamos prestar um concurso, somente pensar positivo pode nos fazer relaxar demais e estudar de menos. Neste caos, um pouco de pessimismo pode fazer uma diferença bem positiva.

Lara ressalta que apesar do otimismo poder ajudar, ele também pode causar uma cegueira para os problemas e limitações de uma situação. “Por isso, costumo dizer que não podemos julgar que o pensamento negativo é sempre ruim. Ele nos prepara para as tomadas de decisão em casos de emergência. Então, quando olhamos para o futuro de maneira negativa, com um cenário ruim que pode acontecer, chamamos isso de cautela e prudência, que também são qualidades preciosas”, aponta Lara.

 

Como desenvolver o pensamento positivo?

Podemos desenvolver o pensamento positivo com diversas atividades, como meditação, ioga, terapia, hobbies, a prática de exercícios físicos e ações de voluntariado.

“Essas atividades ajudam a normalizar a nossa dinâmica emocional, diminuindo os processos neuróticos, que estão diretamente associados com o nosso não-direcionamento emocional, procurando falar mais de nós mesmos”, indica Tieppo.

Já Lara lembra que os nossos pensamentos são muito influenciados pelo nosso estado emocional. Portanto, outra dica é procurar práticas que possam acalmar a emoção, deixando o cérebro mais adaptativo para essas mudanças de maneira produtiva e construtiva.

Por Úrsula Neves

IP Comunica | Serviço de apoio institucional
Av. Prof. Mello Moraes, 1721 - sala 26
Cidade Universitária - São Paulo, SP

Noticias Relacionadas