31 ago 2020

 

Desde o início da pandemia, não só muitas modalidades de trabalho passaram a ser desenvolvidas em casa, como também a educação precisou passar por adaptações. Nesta transição, professores precisaram aprender a desenvolver atividades remotas, utilizando ferramentas digitais e on-line. Para entender como essa mudança afetou os docentes, o Instituto de Psicologia (IP) da USP, em São Paulo, está desenvolvendo a pesquisa Ser professor em tempos de pandemia: o impacto da atividade laboral na saúde mental. 

O estudo é direcionado a professores de todas as categorias de ensino (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e ensino superior). O objetivo é compreender o impacto da pandemia no momento atual dos professores brasileiros para assim tentar promover a saúde mental desses profissionais por meio de posts, lives e outras atividades.

Para participar, o educador deve possuir mais de 18 anos e estar trabalhando durante a pandemia. E então, acessar o formulário on-line e responder às questões. Elas estão relacionadas com o ensino remoto, dificuldades enfrentadas e impressões acerca do isolamento, por exemplo.

A participação é voluntária, mas a contribuição é essencial para o estudo que está sendo desenvolvido. Os dados disponibilizados serão utilizados somente com fins acadêmicos e científicos.

A pesquisa é conduzida pelas professoras Luciana Maria Caetano e Betânia Alves Veiga Dell’ Agli, e também pelos pesquisadores Jackeline Maria de Souza e Rodney Querino Ferreira da Costa. Mais informações: lmcaeano@usp.br e betaniadellagli@gmail.com 

 

Por Jornal da USP

IP Comunica | Serviço de apoio institucional
Av. Prof. Mello Moraes, 1721 - sala 26
Cidade Universitária - São Paulo, SP

Noticias Relacionadas