Entre os temas, métodos e discussões metodológicas da Psicologia Social está a inserção do Programa de Pós-Graduação numa sociedade complexa como a atual passou a exigir. Entre estes figuram: as atuais condições sociais do desenvolvimento cognitivo e psicossocial; o trabalho e suas novas formas de organização; as iniciativas solidárias; a violência; os problemas gerados no pequeno grupo da organização, da família ou da escola; a indefinição/multidefinição das identidades; a migração; a inserção na ecologia urbana; as definições de gênero e raça-etnia e as sexualidades; o pertencimento religioso; as políticas públicas; a saúde coletiva; e a política como expressão do sujeito de direitos e da cidadania.

A estruturação da área de concentração  Psicologia Social em linhas de pesquisa se deu, inicialmente, com base nas cadeiras de Psicologia Social do IPUSP e visando agrupar o corpo docente existente, dando origem a quatro linhas de pesquisa, ainda vigentes, orientadas pela diversidade teórica e metodológica. Tais linhas funcionam como a espinha dorsal do Programa, orientando a oferta de disciplinas e a realização dos projetos de pesquisa:

1. EPISTEMOLOGIA E PSICOLOGIA SOCIAL. Trata das condições de produção do conhecimento de diversas epistemologias subjacentes ao conhecimento científico na Psicologia Social: epistemologia genética, epistemologia e hermenêutica do discurso singular e metapsicologia dos conjuntos intersubjetivos. Enriquece esta linha de pesquisa a correspondente discussão dos métodos de pesquisa em Psicologia Social.

2. PROCESSOS PSICOSSOCIAIS BÁSICOS: AS RELAÇÕES INDIVÍDUO-GRUPO. Trata dos processos psicológicos que tem na relação indivíduo-grupo a unidade analítica, abordando temas como: pertença grupal; dinâmica e processos grupais; estrutura e dinâmica familiar; identidade psicossocial; crenças, atitudes e valores.

3. PSICOLOGIA DO TRABALHO E DAS ORGANIZAÇÕES. Trata da relação pessoa-trabalho numa sociedade heterogênea e estratificada, marcada pelas organizações, pela forte mediação econômica e tecnológica, pela fragmentação e pela ubiquidade do trabalho em diversos espaços da vida humana. Aborda temas como: gestão, estrutura e processos organizacionais, carreira, economia solidária, saúde do trabalhador e problemas humanos no trabalho.

4. PSICOLOGIA SOCIAL DE FENÔMENOS HISTÓRICO-CULTURAIS ESPECÍFICOS. Trata de como o sujeito psicossocial interage com fenômenos que influem na vida social e como constrói objetos culturais: movimentos artísticos, religiosos e de resistência cultural, com atenção à elaboração da memória e ao registro da literatura.
Mais recentemente, em vista da premência de novas questões no cenário social de nossa sociedade, realizou-se a abertura de uma quinta linha de pesquisa:

5. PSICOLOGIA SOCIAL, SAÚDE COLETIVA E POLÍTICA. Trata dos processos psicossociais que ocorrem em dois campos relevantes na vida social contemporânea, o da saúde coletiva e o da política, considerados tanto resultado como condição do comportamento social.
Simultaneamente a este processo de constituição da área de concentração e das linhas de pesquisa, foram, gradativamente a partir dos anos 1990 e inspirados no Laboratório de Epistemologia Genética e Reabilitação Psicossocial criado em 1968, fundados mais 8 laboratórios para dar suporte ao trabalho continuado de pesquisa, formação e extensão: Laboratório de Estudos da Família ; Relações de Gênero e Sexualidade ; Laboratório de Estudos em Psicologia da Arte ; Laboratório de Estudos em Psicanálise e Psicologia Social ; Laboratório de Estudos sobre Trabalho e Orientação Profissional ; Laboratório de Memória e História Oral Simone Weil ; Laboratório de Psicologia Socioambiental e Intervenção ; Laboratório de Psicologia Social da Religião ; e Laboratório de Psicologia Anomalística e Processos Psicossociais.

Ao longo dos anos, o Programa vem se ampliando e potencializando a energia inicial presente nas aspirações acadêmicas de Annita Cabral, e seguiu, em 2012, construindo sua identidade como um espaço de reflexões e debates. O alvo dessa identidade é manter-se como elo entre o passado e o futuro da Psicologia Social, ao agir sempre alicerçado em referenciais teóricos pluralistas e baseado na diversidade metodológica da Psicologia Social. Em busca desta pluralidade e atento às demandas psicossociais, o processo de consolidação do Programa vem se concretizando através de atualizações como: (a) a necessária e crescente articulação com a Graduação e a extensão; (b) a transição de um modus operandi de pesquisa mais individualizada para um trabalho mais coletivo em grupos, intergrupos e interprogramas, corporificados em grupos de estudos, projetos de pesquisa e disciplinas coletivas; (c) o crescente movimento de internacionalização focado, principalmente, nos convênios estabelecidos com universidades estrangeiras : Birkbeck University of London, R. Unido; Université de Savoie, França; Universidad CES – Medellin, Colombia; Centro  Caritas de Formação, Mexico; Universidad Del Valle, Colombia; Universidad Pop. Aut. Del Est. De Puebla, Mexico; Universidad San Buenaventura, Colombia; Universidade do Minho , Portugal; Universidad Manizales, Colombia; Institut de Recherche em Psychotherapie, França; Universidad Tecnologica de Pereira, Colombia; Universite Paris Diderot, França; Université Rennes 2, França; Universitat Zu Kiel, Alemanha; Universidade de Lisboa -Centro de Filosofia, Portugal; Université Lumiere Lyon 2, França.

O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social busca atualizar-se constantemente, operando modificações no processo seletivo desde 2012, repensando a grade de disciplinas, estabelecendo mais contatos internacionais diretos, investindo na autoavaliação e renovando seu quadro docente.